Passada a marca da metade do mandato,Roberto Cláudio (Pros) deve quase três de cada quatro promessas imediatas que fez ao eleitor fortalezense. Das 68 ações desse tipo previstas pelo plano de governo do então candidato, 18 – cerca de 26% – foram executadas.  

A 702 dias do fim do mandato, a gestão diz, no entanto, que “foi além” do documentado e “ainda há muito a ser feito”.

Os dados fazem parte de levantamento feito pelo O POVO com base no plano apresentado por RC em setembro de 2012, um mês antes da eleição. Foram levadas em conta apenas as propostas “imediatas”, que correspondem a cerca de 10% do total de propostas assinaladas no documento. Como não eram imediatos, projetos como a implantação de viadutos, binários, faixas de ônibus, ciclofaixas e outras ações não entram no registro.

Propostas consideradas pela gestão como “em estudo” acabaram se tornando mais urgentes do que as apresentadas como “imediatas”. Enquanto obras como a readequação de acesso ao Porto do Mucuripe devem ser entregues nos próximos meses, outras, como a conclusão da Vila das Artes, pouco avançaram nos últimos anos.

Ações como a “criação do Polo Gastronômico da Varjota” ou de “grupos para direitos LGBTT” mantiveram, sem grandes mudanças, o que já existia na gestão Luizianne Lins (PT). Outras, como “botar para funcionar Postos de Saúde, Frotinhas e Gonzaguinhas”, são genéricas.

Questionada sobre essa promessa, a gestão atual diz tê-la cumprido satisfatoriamente, por meio da reabertura de postos em terceiro turno e reformas já concluídas de 52 postos da Capital. Já sobre “botar para funcionar direito as escolas”, a gestão admitiu estar concluída uma “primeira fase”, com novas ações marcadas para o futuro.

Contraponto

Procurada pelo O POVO, a Prefeitura de Fortaleza nega demora na execução das promessas imediatas e assegura que “foi além” do que previa o plano de governo. Listando a implantação do Bilhete Único, contratação de professores e pagamento de 1/3 fora de sala de aula, concursos na saúde, readequação de avenidas e terminais de ônibus, a Prefeitura afirma que “muito ainda há de ser feito”. 

A administração municipal reforça ainda ter assinado 75 ordens de serviço para creches, concluído 12 escolas em tempo integral e construído três Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Positivas, as ações são parte das 160 creches – 80 do município e 80 do governo do Estado –, 48 escolas em tempo integral e 11 UPAs prometidas no plano de governo.

Apresentado junto com o de seu adversário nas urnas, Elmano de Freitas (PT), o plano de governo de Roberto Cláudio incluía 641 propostas diversas. Desse total, RC disse se comprometer apenas com as 68 “imediatas”.  

O documento incluía propostas polêmicas, como rodízio de carros.

(Carlos Mazza, O Povo)

Anúncios