Mc Pedrinho, ídolo do funk paulista, é o caçula de três irmãos – Foto: divulgação

O Ministério Público do Estado do Ceará, através da 6ª Promotoria de Tutela Coletiva da Infância e Adolescência, pediu a proibição da apresentação do adolescente Pedro Maia Tempster, conhecido como Mc Pedrinho, de apenas 12 anos. O show está marcado para ocorrer neste sábado, 31, mas o órgão questiona a conotação sexual das letras do adolescente.

Luciano Tonet, promotor de Justiça, explica que encaminhou uma Ação Civil Pública junto à Vara da Infância e Juventude de Fortaleza, pois o repertório do garoto possui “alto teor de erotismo”. Ele também cita que as músicas são marcadas por “pornografia, baixo calão e todo tipo de vulgaridade, incompatíveis com a condição peculiar de pessoa em desenvolvimento”.

A ação estipula multa de R$ 1 milhão, sem prejuízo de ações administrativas ou penais, caso o show seja realizado. Para Luciano, a Procuradoria Geral da República em São Paulo, local onde Mc Pedrinho reside, deve ser alertada para tomar as providências cabíveis. “O MPCE requer que sejam oficiados a Polícia Militar, a Guarda Municipal e os Conselhos Tutelares para que fiscalizem o cumprimento da ação”, completa.

Pedro Maia Tempster nasceu em Cabreúva, cerca de 80 km de São Paulo. Ele é o caçula de três irmãos e filho de uma ex-empregada doméstica. Os hits como “Vida diferenciada” e “Dom dom dom”, interpretadas por ele em clips no Youtube, incluem conquistas materiais e sexuais.

A carreira começou quando o garoto foi na GR6 (pordutora) com amigos e gravou uma música. Os vídeos dele não estão em um canal oficial no Youtube, mas o cliques ultrapassaram 14 milhões em apenas quatro meses. “Tenho minha casa agora, não passo mais vontade das coisas e minha mãe não precisa mais deixar eu e meus irmãos com minha tia para ir trabalhar”, disse o garoto, em entrevista ao G1 São Paulo.

Redação O POVO Online
Anúncios