Cid Gomes (PROS-CE) é o novo ministro da Educação. Gilberto Kassab ficou o Ministério das Cidades e Eduardo Braga (PMDB-AM) com Minas e Energia.

Mais 13 ministros foram anunciados nesta terça-feira pela presidente Dilma Rousseff. Entre os nomes confirmados está o deputado federal gaúcho Eliseu Padilha (PMDB), que assumirá a Secretaria de Aviação Civil.

Os outros nomes confirmados foram: Aldo Rebelo para Ciência Tecnologia e Inovação; Cid Gomes para o Ministério da Educação; Edinho Araújo para a Secretaria de Portos; Eduardo Braga para Minas e Energia; George Hilton para o Esporte; Gilberto Kassab para Cidades, Helder Barbalho para a Secretaria de Aquicultura e Pesca; Jacques Wagner para a Defesa; Katia Abreu para a Agricultura; Nilma Lino Gomes para Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial; Valdir Simão para Controladoria Geral da União e Vinicius Lajes para o Turismo.

Homem de confiança do vice-presidente Michel Temer (PMDB), Eliseu Padilhaserá responsável por estreitar as relações do governo com o Congresso Nacional. A missão é semelhante à que ele desempenhou no governo de Fernando Henrique Cardoso, quando ocupou a pasta dos Transportes. O novo cargo do deputado foi um presente de aniversário — nesta terça-feira, o parlamentar completa 69 anos.

Pela primeira vez nos 12 anos de governos Lula e Dilma, o Ministério da Educação será entregue a um não petista: Cid Gomes é governador do Ceará pelo Pros. A pasta virou alvo de uma disputa interna do PT, que não queria abrir mão de seu controle, já que o orçamento do ministério é de cerca de R$ 100 bilhões. A cidade cearense de Sobral, berço político dos irmãos Cid e Ciro Gomes, é vista como um caso de sucesso na implantação de políticas educacionais no país, pelos bons índices registrados. A presidente também sempre elogiou o programa de alfabetização na idade certa implantado no Estado, que serve de referência nacional.

Apelidada por ambientalistas de “Miss Desmatamento”, a peemedebista Katia Abreu teve o nome cotado para o cargo há cerca de um mês, e sua confirmação deve desagradar movimentos sociais pró-reforma agrária. Senadora pelo Tocantins, Katia preside a Confederação Nacional da Pecuária e Agricultura e é um indicativo do apoio da pasta, atualmente comandada pelo gaúcho Neri Geller, às reivindicações dos ruralistas. Em novembro, quando teve o nome especulado para assumir o ministério, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) gaúcho ocupou uma fazenda em Palmeira das Missões, no Norte, em umamanifestação contra a pecuarista.

Anunciado para o Ministério da Defesa, o petista Jacques Wagner é atual governador da Bahia. Já Eduardo Braga, novo responsável pela pasta de Minas e Energia, é senador do PMDB pelo Amazonas e líder do governo Dilma no Senado.

No início do mês, Dilma confirmou o ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) Armando Monteiro, do PTB, como novo ministro do Desenvolvimento. Em novembro, a presidente anunciou Joaquim Levy como Ministro da Fazenda e Nelson Barbosa para o Planejamento. Ao lado de Alexandre Tombini, que se mantém no Banco Central, eles compõem o trio que tem o desafio de melhorar a economia brasileira, alvo de duras críticas durante toda a campanha eleitoral.

* Zero Hora, com agências

Anúncios