O montante de impostos sonegados neste ano no Brasil chega a R$ 417 bilhões, segundo o Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz). O cálculo é feito por um software e atualizado em tempo real no site “Sonegômetro”, iniciativa da entidade classista. Para chamar a atenção da sociedade, o Sinprofaz já levou os números para ruas de várias cidades brasileiras, a exemplo de Belo Horizonte, Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, onde um telão apresentava os dados aos cidadãos que passassem. Amanhã é a vez de Fortaleza.

A ação acontece entre as 8h e 12h, na entrada da Receita Federal. Na sede cearense, um monitor de 55’’ polegadas, procuradores da fazenda e idealizador do impostômetro, o ex-presidente do Sinprofaz, Allan Titonelli, estarão alertando os contribuintes quanto às perdas que a sonegação representa para o País.

Para ele, a carga tributária brasileira é sempre motivo de reclamações por parte dos empresários. “Mas é preciso também mostrar os malefícios da sonegação, que se não existisse, eliminaria os tributos em pelo menos 30%”.

O superintendente da Receita Federal em Fortaleza – 3ª Região Fiscal, Moacyr Mondardo Júnior, concorda que o problema da sonegação precisa de mais visibilidade. “Muitas vezes se desconhece a questão dos recursos que deixam de vir para os cofres do estado, o que fragiliza as ações do Poder Público”.

O site do Sinprofaz permite ao cidadão consultar os valores (estimados) da sonegação no Brasil por ano, mês, dia, minuto, segundo ou por contribuinte. A ferramenta também sugere o que poderia ser feito com o dinheiro sonegado. Nesta simulação, seriam 3.978 postos de saúde, 2.388 postos policiais ou 16.304 escolas a menos para os contribuintes. (Vicente Neto, especial para O POVO) 

SERVIÇO

 

Exibição do Sonegômetro

Quando: hoje, das 8h às 12h

Onde: em frente à sede da Receita Federal do Brasil em Fortaleza – rua Barão de Aracati, 909 – Aldeota

Sonegômetro na web: www.sonegometro.com

(O Povo)