O Fórum Econômico Mundial divulgou nesta terça-feira (28) um relatório mostrando que a igualdade entre gêneros no mercado de trabalho só será alcançada daqui a 81 anos. O maior desafio está na era econômica.

O estudo afirma que a igualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho só deverá ser alcançada daqui a 81 anos, em 2095. Em outras duas áreas abordadas no relatório, saúde e educação, o progresso é maior. Ao todo, 25 países conseguiram acabar com a desigualdade no setor educacional no último ano.

O quarto pilar do estudo é a participação feminina na política. É a área que está progredindo mais rapidamente no mundo, mas ainda há um longo caminho para que não haja disparidade de gêneros.

No ranking geral, o Brasil está na posição de número 71, caiu 9 em relação ao ano passado. O topo do ranking é dominado pelos países nórdicos. O país latino-americano mais avançado neste aspecto é a Nicarágua.

O Brasil é muito elogiado pelo desempenho na educação e na saúde. Não existe mais no país desigualdade de gêneros nestas duas áreas, de acordo com o Fórum Econômico Mundial. O que falta, segundo os pesquisadores, é investimento para a participação feminina no mercado de trabalho. Este foi inclusive o motivo da queda do Brasil no ranking.

(G1)