Memória fraca não é uma queixa que se restringe apenas às pessoas mais velhas. Cada vez mais jovens, expostos à uma série de informações, reclamam do constante esquecimento de pequenas coisas no dia a dia, como nomes, datas, rostos, etc.

A causa pode estar ligadada ao stress, ao avanço da idade, ao cansaço e também à alimentação. O ômega 3, por exemplo, é um nutriente imprescindível para saúde mental, para um cérebro mais ativo e está ricamente presente em alimentos como sardinha, sementes de linhaça e nozes.

Confira lista completa com 10 alimentos essenciais para a memória:

1 – Quinoa

A quinoa, ou quinua, é um alimento que contém proteína, ferro, cálcio, vitaminas do complexo B e ácido graxo ômega 3, que integra a membrana externa das células cerebrais. Além de efeito anti-inflamatório e de controlar a saciedade, o ômega 3 proporciona uma troca rápida de mensagens no cérebro. Ela pode substituir a carne nas refeições;

2 – Linhaça

Seja dourada ou marrom, a linhaça é considerada por muitos como uma forte aliada do emagrecimento, considerando o seu poder de saciedade. Rica em ômega 3, a semente de linhaça é uma ótima opção para aqueles que desejam dar uma turbinada na memória. É importante consumir a semente triturada ou após ficar de molho na água, pois só assim o nutriente é extraído de sua estrutura;

 

3 – Chia

A chia é uma semente típica do México considerada como um superalimento e conta com duas vezes mais ômega 3 que a linhaça. Rica também em fibras, cálcio e ferro, a chia dá um “up” na concentração e na memória, além de ter propriedade anti-inflamatória. Devido às fibras, a semente só é contraindicada para idosos e para pessoas com diverticulose (doença que causa problemas na parede intestinal);

4 – Salmão

O salmão é uma carne rica em ômega 3 capaz de melhorar, significativamente, o desempenho cognitivo e o funcionamento do cérebro para guardar informações. A carne também proporciona bom humor, graças ao aumento na eficiência dos receptores de serotonina no cérebro. O alimento ainda reduz níveis de colesterol e promove um melhor funcionamento do coração;

5 – Morango

Além do ômega 3, a fisetina é outra substância aliada da memória. Segundo pesquisas recentes, o nutriente, encontrado no morango, por exemplo, induz a diferenciação das células nervosas, influenciando diretamente para uma boa função cognitiva e na redução do esquecimento;

6 – Tomate

O tomate, assim como o morango, é outro alimento rico em fisetina, nutriente que contribui para uma melhora significativa da memória. Além da fisetina, o fruto ainda possui licopeno, um antioxidante capaz de reduzir os danos causados às células pelos radicais livres, prevenindo doenças como o câncer;

7 – Uva

Além da fisetina, as uvas vermelhas e roxas são ricas em flavonoides. As duas substâncias protegem o sistema nervoso e interferem na regulação da morte de neurônios, bem como na regeneração dessas células. Os flavonoides também são úteis para quem luta contra inflamações, hemorragias ou alergias;

8 – Chás

Seja verde, branco ou vermelho, os chás são ótimas fontes de flavonoides, auxiliares no desenvolvimento e recuperação da memória. Dentre as três opções, o chá verde ainda é um forte aliado para quem deseja perder peso. Enquanto substância termogênica, o chá verde acelera o metabolismo, auxiliando a queima de calorias;

9 – Carne de fígado

Uma das principais fontes de vitamina B12 é a carne de fígado. Tal composto é indispensável para a formação do sangue, o bom desenvolvimento do sistema nervoso e prevenção de doenças do coração e do cérebro, fatores que influenciam em uma memória saudável, sem lapsos;

10 – Ovo

Segundo estudos, a colina, substância presente na gema do ovo, é capaz de produzir efeitos, como melhor aprendizado e memória boa. O auxílio da colina se torna ainda mais visível no envelhecimento, visto que ela protege as células do cérebro, independente das transformações que ocorrem no corpo ao longo do tempo. A colina também beneficia a saúde dos olhos e previne doenças cardiovasculares e o mal de Alzheimer, graças à boa quantidade de ácido fólico.

Redação O POVO Online