Da Agência Brasil com Milton Blay da Rádio Bandeirantes

A vitória de Dilma Rousseff repercutiu na imprensa europeia nesta segunda-feira. O jornal britânico The Guardian estampa uma foto de militantes petistas comemorando os resultados da eleição presidencial e diz que a década de dominação de partidos políticos de esquerda na América do Sul se mantém com a vitória do PT no Brasil. 

Já o norte-americano “The New York Times” noticia em sua manchete a reeleição de Dilma Rousseff (PT) com destaque para a trajetória eleitoral. “A presidente derrotou o adversário de centro, Aécio Neves (PSDB), em uma disputa tumultuada, marcada por acusações de corrupção, insultos pessoais e debates com clima quente”.

x

Reprodução

 

O espanhol El País relembra a história de Dilma Rousseff e sua luta contra um câncer em 2009, e chama a petista de “a presidente com caráter”. O diário enfatiza a pequena margem de diferença entre ela e o candidato adversário, Aécio Neves (PSDB), e diz que “um país dividido será mais difícil de governar”. 

x
Reprodução

 

O Le Monde, da França, traz uma foto de Dilma Rousseff durante seu primeiro discurso após a divulgação dos resultados e observa que a presidente reeleita defendeu o diálogo e a união. O jornal enfatiza a divisão do país entre esquerda e direita, diz que o PT teve sucesso na redução das desigualdades sociais existentes no Brasil, mas que, com as mudanças no cenário internacional, não conseguiu sustentar o crescimento econômico.

 

x
Reprodução

 

Para o alemão Der Spiegel, a presidente Dilma Rousseff foi eleita em uma disputa apertada neste domingo, com apenas uns pontos à frente do adversário Aécio Neves.  

O italiano Corriere della Sera destaca: ‘Dilma vence uma vez mais, porém, o Brasil é um país dividido em dois’. 

No exterior, quase 142 mil brasileiros votaram para presidente da República no segundo turno das eleições. A abstenção, assim como no primeiro turno, continuou alta: 59%. O candidato Aécio Neves teve 77% dos votos dos brasileiros que vivem fora do país, enquanto Dilma Rousseff teve 23%.

(Band. uol)

Anúncios