A festa foi do Benfica ao Cocó, com programação também na Praia de Iracema, na noite da reeleição de Dilma Rousseff (PT) e da vitória de Camilo Santana (PT). Na Capital, o reduto petista no Benfica foi destino de militantes históricos cobertos de camisas vermelhas, adesivos e bandeiras da presidente. Já no Cocó, no comitê que aportou a campanha do petista apoiado pelo governador Cid Gomes (Pros), uma multidão, a maioria trajando o amarelo característico do partido governista, acompanhou o primeiro discurso de Camilo como governador.

Em cima da carroceria de um carro amarelo dirigido por Cid, Camilo chegou ao comitê por volta das 20h40min e foi recepcionado por multidão que se aglomerou em volta do veículo, causando tumulto. Todos buscavam o melhor ângulo para fotos do novo governador do Ceará. Os eleitores acompanharam toda a apuração no comitê e vibravam a cada atualização dos números.

Nos ombros de eleitores, Cid, Camilo e o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (Pros), foram levados até o palanque onde o eleito fez um discurso breve. Camilo agradeceu, falou sobre a primeira mulher eleita vice-governadora do Estado, Izolda Cela (Pros), e puxou o coro para que a multidão gritasse “Dilma, Dilma!”.

Na festa, a professora da Universidade Federal do Ceará (UFC) Helena Frota defendeu que Camilo terá de manter um diálogo mais aberto com a instituição. Já a psicopedagoga Glaina Santos comentou que são grandes desafios do novo governador “dar mais atenção à situação dos dependentes químicos e melhorar a segurança pública”. Para a estudante Márcia Gouveia, Camilo precisa fazer melhorias na educação. “Ele tem de colocar mais e melhores professores nas escolas”, opinou. 

Benfica

O início da noite na Avenida da Universidade foi tímido, reunindo só aqueles que queriam dividir a ansiedade da espera pelo resultado já nas ruas. E foi aos gritos parcelados a cada atualização dos números que a comemoração petista se delineou em frente ao telão. A festa reuniu militantes de longa data e outros levados à campanha pelo acirramento histórico que marcou o pleito.  

O produtor cultural Adriano Lima ressaltou a militância de 30 anos e se emocionou ao falar de como os militantes reacenderam a chama nesta eleição. “Escolhemos vir para cá porque é um lugar histórico do PT e da esquerda”, comentou. “O coração é valente, mas não precisa disso tudo”, comentava a professora Mônica Lima com a agonia pela disputa apertada e as constantes contas para saber se ainda era possível alguma virada.

Foi com a confirmação da vitória que a multidão começou a lotar a avenida para acompanhar os shows de três bandas locais noite adentro.

Para o deputado federal José Guimarães, que compareceu à festa na avenida, o PT deve a vitória à militância e precisa fazer um novo governo em resposta a ela.

(O Povo)

Anúncios