O torcedor corintiano terá um problema a menos para se preocupar na briga por uma vaga na Libertadores na reta final de Campeonato Brasileiro. Nesta segunda-feira, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) julgou uma suposta irregularidade no contrato do volante Petros, mas entendeu que não houve erro por parte do Timão. Sendo assim, o Alvinegro do Parque São Jorge se livrou de perder quatro pontos na competição.

O processo judicial ocorreu por causa de uma possível irregularidade na renovação do contrato com o volante Petros. O nome do jogador apareceu no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF no dia 1 de agosto, na sexta-feira, mas o novo vínculo com o Corinthians passou a valer a partir de 2 de agosto.

No dia seguinte, domingo, Petros entrou em campo para defender o Corinthians contra o Coritiba, em partida que terminou empatada sem gols. De acordo com a Procuradoria, o volante teria atuado de forma irregular, já que a regularização poderia acontecer apenas na segunda-feira, quando o BID atualizaria a informação.

Diante do impasse, Internacional e Grêmio, que disputam uma vaga na Libertadores com o Corinthians neste Campeonato Brasileiro, deixaram a rivalidade de lado e entraram como interessados no processo. Os representantes dos times gaúchos, no entanto, preferiram não fazer qualquer sustentação oral ao longo do julgamento.

Logo no primeiro voto, o relator Márcio Amaral isentou o Corinthians de culpa, defendendo que o clube colocou um atleta que estava no BID, e condenou CBF e Federação Paulista com multa de R$ 10 mil pelo impasse. Na sequência, Matheus Gregorini, Rodrigo Raposo e José Perdiz também absolveram o time alvinegro.

O julgamento foi realizado em primeira instância, o que abre espaço para recurso e revisão no Pleno do STJD, que ainda não tem data definida. Livre neste momento de qualquer punição, o Corinthians espera a manifestação da promotoria, já que, recentemente, viu Guerrero ser absolvido no primeiro momento, porém punido na revisão do caso.

 

(Gazeta Press)

Anúncios