Os ataques da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) à ex-senadora Marina Silva (PSB) surtiram efeito entre os eleitores do Rio de Janeiro. Uma pesquisa à Presidência feita pelo instituto Gerp, e finalizada hoje (16), mostra que as duas candidatas ao Planalto trocaram de posições no estado. Em relação ao levantamento de 2 de setembro, Dilma ganhou quatro pontos porcentuais no Rio de Janeiro e ultrapassou Marina, que perdeu dois pontos no mesmo período. Agora é Dilma quem lidera a disputa à Presidência, com 33% das intenções de votos do eleitorado fluminense. Marina, que caiu para a segunda colocação, tem 30% da preferência local. Como a margem de erro é de 2,7 pontos porcentuais, Dilma e Marina continuam tecnicamente empatadas no estado, mas com tendências opostas. Enquanto a curva de Dilma é para cima, a de Marina é para baixo. Na semana passada, os programas de televisão de Dilma disseram repetidamente que Marina, se eleita, não investirá na exploração do pré-sal. O assunto é considerado chave para os eleitores do Rio de Janeiro, estado produtor de petróleo. O levantamento do instituto Gerp ainda mostrou que o senador Aécio Neves (PSDB) manteve os seus 11%. Entre sexta e ontem (15), foram ouvidos 1,3 mil eleitores em 45 cidades do Rio de Janeiro. A pesquisa foi registrada no Superior Tribunal Eleitoral.

(Marcelo Sperandio, via http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/felipe-patury/)