O candidato a deputado federal pelo PTdoB,Leonelzinho Alencar, teve a candidatura deferida, nesta quinta-feira, 4, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília, após a reconsideração monocrática do relator do processo, ministro João Otávio de Noronha, diante recurso do advogado Cássio Felipe Pacheco.

Leonelzinho estava com a candidatura indeferida por atraso no pagamento de multa, ao estender propaganda política em muro, após o período eleitoral.

Na semana passada, o candidato chegou a dar entrada, junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-CE), da retirada da candidatura, como forma de favorecer a inscrição de uma nova candidatura do partido, mas pediu reconsideração, após tomar conhecimento que outra candidatura pelo país havia conseguido deferimento na mesma situação.

Polêmico
Durante a eleição de 2012, Leonelzinho se viu no centro de diversos escândalos que estouraram no período eleitoral. Em um deles, confessou que sua esposa, Adriana Bezerra, recebeu irregularmente do programa Bolsa Família. Depois, em setembro daquele ano, prestou depoimento ao Ministério Público em investigação sobre uso ilícito de verbas públicas em uma ONG ligada ao parlamentar e acúmulo de cargos nas Prefeituras de São Gonçalo do Amarante.

O vereador já foi acusado também de participar do roubo de bicicletas banners do PSDB em Messejana em 2011, e de ter ameaçado de morte o ex-vereador Francisco Alves (PRTB) durante discussão sobre paternidade de uma obra da Prefeitura. Alves chegou inclusive a registrar Boletim de Ocorrência contra o vereador.

Na época, Leonelzinho se defendeu e disse que era vítima de perseguição política na Messejana – bairro onde atua politicamente -, tendo sido inclusive ameaçado de morte. Ao ser reeleito entre os vereadores mais votados de 2012, exibiu em sua diplomação faixa e camiseta com os dizeres “os humilhados serão exaltados”.

Redação O POVO Online
com informações do Blog do Eliomar