O Banco do Nordeste apresentou lucro líquido de R$ 326 milhões no 1° semestre de 2014, resultado 63% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Ao todo, o Banco realizou 2,2 milhões de operações de crédito, correspondentes a R$ 9 bilhões em financiamentos concedidos para todos os setores da economia.

O presidente Nelson Antônio de Souza ressalta que, do total contratado, R$ 4 bilhões foram com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), principal funding do Banco. Por meio do fundo, o BNB realizou 214 mil operações no semestre.

Em relação a crédito de curto prazo, o programa de microcrédito urbano do Banco do Nordeste (Crediamigo) lidera, seguindo sua trajetória ascendente. Alcançou crescimento de 24,5% no semestre, com R$ 3,3 bilhões emprestados.

Já o Agroamigo, voltado para agricultores familiares, superou a marca de R$ 2 bilhões em sua carteira ativa, registrando crescimento de 19,7% em relação a dezembro do ano passado.

Recuperação de crédito e rentabilidade

O Banco renegociou R$ 351,5 milhões em operações, sendo que as receitas obtidas com recuperação de crédito no semestre somaram R$ 42,6 milhões.

A melhoria na qualidade do crédito teve forte impacto nos resultados. O balanço registra diminuição em quase 50% da necessidade de provisionamento, reduzida de R$ 789,9 milhões no primeiro semestre de 2013 para R$ 395,8 milhões no mesmo período de 2014.

Outro avanço foi a rentabilidade média anualizada, que alcançou, no primeiro semestre de 2014, 22,2%, contra 16,2% obtidos nos primeiros seis meses de 2013. O Patrimônio Líquido em jun/2014 totalizou R$ 3,2 bilhões, o que mantém o Banco numa situação confortável frente às exigências do Acordo de Basiléia III. “Apresentamos um índice de alocação de capital de 16,39%, frente a uma exigência de 11%. Assim, existe um espaço considerável para alavancagem dos novos negócios”, destaca o presidente Nelson Antônio de Souza.

Desempenho no Ceará

No Ceará, de janeiro a junho deste ano, o Banco do Nordeste contratou R$ 1,6 bilhão em operações, com destaque para a concessão de crédito ao micro e pequeno empreendedor.

Na área de Microfinanças, o CrediAmigo alcançou R$ 1 bilhão em operações neste primeiro semestre de 2014, o que significou um crescimento de 28,1% em comparação ao mesmo período de 2013, que atingiu R$ 784,5 milhões em operações. Nas operações do AgroAmigo dos seis primeiros meses do ano de 2014, o Banco contratou R$ 88,3 milhões, resultando num crescimento de 29,4% em relação ao mesmo período de 2013, quando alcançou R$ 68,2 milhões.

Já o crédito concedido para MPEs durante o primeiro período de 2014 atingiu R$ 242,8 milhões.

É destaque também o plano de expansão das agências no Ceará. No primeiro semestre de 2013, o Banco do Nordeste contava com 31 agências no Estado. Atualmente, são 43 agências abertas ao público.

(Roberto Moreira

Anúncios