Por Tharcila Werlich, via  http://www.difusora910.com.br

Uma pesquisa encomendada pelo Sindicato dos Bancários de Criciúma e Região mostra que 54% dos trabalhadores sofrem de ansiedade e depressão. Um total de 37% sofrem com problemas na região do ombro e 35% tem problemas de coluna. A pesquisa “Os fatores laborais de risco de adoecimento mental e LER/DORT dos bancários e bancárias” é apresentada à categoria no Seminário de Saúde dos Bancários de Criciúma e Região no dia dois de agosto, em um evento no Hotel Colle em Criciúma.

As entrevistas foram realizadas em junho de 2013 nas 64 agências bancárias distribuídas em dez municípios de base do Sindicato. O perfil dos bancários é formado pela maioria jovem (25 a 34 anos), predominante masculino (56,67%) e alta escolaridade superior completo (49%). A média de tempo na profissão é de seis a dez anos com 28%. Um total de 61,67% reclamam da falta de pessoal, 87,33% dos horários não respeitados, 28,33% do assédio moral, 48,33% da sobrecarga de trabalho e 56,67% das metas abusivas.

A pesquisa foi analisada pelo Instituto de Pesquisa Catarinense e o médico Robson Luiz dos Santos,especialista em ortopedia e traumatologia, professor da Universidade do Extremo Sul Catarinense e membro da Associação Criciumense de Apoio à Saúde Mental. Na avaliação do secretário de Saúde do Sindicato Magno Branco Pacheco, os dados científicos vão ser analisados no Seminário pela categoria e na mesa de negociação da Campanha Salarial deste ano. “Iremos buscar ações para a melhoria da qualidade de vida e saúde dos trabalhadores”, pondera. Segundo dados do INSS  no Brasil somente nos três meses de 2013, 4.387 bancários já haviam se afastado por adoecimento, sendo 25,8% por transtornos mentais e 25,4% por LER/DORT.

Colaboração: Assessoria de Imprensa/Maristela Benedet