Cerca de 100 pesquisadores e ativistas a caminho de uma grande conferência sobre a Aids na Austrália estavam entre os 283 passageiros a bordo do voo MH17 que caiu ontem no leste da Ucrânia, de acordo com participantes do evento e autoridades australianas.

Denis Napthine, governador do Estado de Victoria, disse que um número ainda não confirmado de pesquisadores, entre eles médicos, cientistas e ativistas de todo o mundo, estavam a caminho da 20º Conferência Internacional sobre a Aids, que começará neste domingo em Melbourne.

“O número exato ainda não é conhecido, mas não há dúvidas de que é um número substancial”, afirmou Napthine, que declarou ser muito cedo para dar um número preciso.

“Um número de colegas e amigos a caminho da 20ª Conferência Internacional sobre a Aids, que será realizada em Melbourne, na Austrália, estavam a bordo do voo MH17 da Malaysia Airlines que caiu na Ucrânia”, disse Michael Kessler, representante da IAS, em comunicado.

No Boeing 777 do voo MH17 viajavam 154 holandeses, 43 malaios (incluídos os 15 membros da tripulação), 27 australianos, 12 indonésios, nove britânicos, quatro alemães, quatro belgas, três filipinos, um canadense e outros 41 que ainda não tiveram sua nacionalidade confirmada.

(Portal Terra)