No último sábado, um dia após o jogo entre Brasil e Colômbia no Castelão, que marcou a despedida de Fortaleza da Copa, o aeroporto Pinto Martins registrou 225 operações de pousos e decolagens comerciais. Este é o maior movimento da história do equipamento em um único dia segundo a Infraero. De acordo com a empresa, apesar da quantidade de voos, as ocorrências ficaram dentro da normalidade.

 

O recorde anterior havia sido registrado no dia 17 de junho, data da partida entre Brasil e México na Capital, com 215 operações comerciais. A média diária, de acordo com a empresa, é de 150 pousos e decolagens por dia. Na tarde de ontem, no entanto, havia pouco movimento.

 

“Houve muito movimento na sexta-feira, no sábado, e hoje de manhã, agora ficou mais tranquilo”, disse Priscila Maciel dos Santos, vendedora da loja oficial da Fifa no Aeroporto. Apesar do recorde de voos no sábado, ela disse que a maior fluxo na loja foi no dia do jogo entre Brasil e México.

 

Segundo Priscila, as vendas na loja estão aquecidas desde o início da Copa. “A maioria vem comprar o Fuleco, chaveiros, brindes e, principalmente, a camisa da seleção brasileira, que acabou há dez dias. Ainda temos as camisas da Espanha e da Argentina, que estão em promoção”.

 

Para a vendedora Zilmara Lobo, da loja Happy Sell, os mexicanos foram os melhores clientes no período da Copa. “Eles são muito educados, não pedem descontos e pagam à vista em dinheiro vivo. Tem turistas de outros países que vêm aqui, que não sabem falar português, mas sabem dizer a palavra desconto quando dizemos o preço”.

 

O advogado Flávio Antunes, 38, de São Paulo (SP), havia comprado um pacote para passar uma semana com a esposa e as duas filhas no Porto das Dunas. Mas, como a semana coincidiu com o último jogo do Brasil em Fortaleza, ele decidiu comprar ingressos para a família e disse que valeu a pena.

 

“O clima na cidade estava muito bom. Tinha muitos colombianos, mas houve muito respeito entre as torcidas”. Pela primeira vez em Fortaleza, ele diz que tinha uma imagem de “muita” insegurança da Cidade. “Não me senti inseguro em nenhum momento. O povo de Fortaleza é muito alegre”.

 

Também pela primeira vez no Ceará, a professora Eva Barros, 60, de São Paulo (SP), veio à Capital para assistir ao jogo entre Brasil e Colômbia, com o filho, netos e a nora. “Foi a primeira vez que eu entrei em um estádio de futebol. Achei impressionante a torcida. Foi muito bonito”.

 

Saiba mais

 

Ao fim dos seis jogos, o Estádio Castelão registrou um público de 356.896 pessoas, com uma média de 59.483 pessoas por partida.

 

Segundo o balanço da Secretaria Especial da Copa, a taxa de ocupação no Castelão ficou em 98,57%.

 

O público predominante no estádio foi de turistas estrangeiros (149.284 pessoas), seguido de turistas nacionais (109.065) e cearenses (98.546).

 

Estados Unidos (10,4%), México (8,4%) e Alemanha (5,8%) foram os principais emissores para a Capital.

 

Com relação aos turistas nacionais, os principais emissores foram São Paulo (15,3%), Rio de Janeiro (5,3%) e Rio Grande do Norte (2,8%).

 

Serviço

 

Consulte seu voo no site da Infraero

Onde: http://bit.ly/19OtZ08 

(Bruno Cabral, O Povo)

Anúncios