São Paulo – José Serra, ex-prefeito de São Paulo (2005-2006) e ex-governador do estado (2007-2010), foi confirmado na noite de ontem (30) como candidato do PSDB a uma das vagas paulistas no Senado. Informações não confirmadas sobre a decisão de Serra, que estava em dúvida entre concorrer a uma vaga de deputado federal ou de senador e é notório por tomar decisões eleitorais no último momento, dão conta de que ele teria aceitado liderar a candidatura ao receber garantia de que terá o mesmo tempo de exposição na televisão que o atual governador, Geraldo Alckmin (PSDB), que concorre à reeleição.

A exemplo da chapa presidencial tucana, dos senadores Aécio Neves (MG) e Aloysio Nunes (SP), a chapa de Serra ao Senado será parcialmente “puro-sangue”: o primeiro suplente será o deputado federal José Aníbal, também do PSDB, atualmente licenciado da Câmara para ocupar a posição de secretário estadual de Energia de São Paulo. O segundo suplente será Marcos Pereira, presidente estadual do PRB.

O confronto direto de Serra pelo Senado será contra Eduardo Suplicy (PT), que concorre pela quarta reeleição consecutiva para o posto de senador por São Paulo, que ocupa desde 1991. Com mandato de oito anos de duração e três representantes por unidade federativa, o Senado passa por renovação em eleições alternadas: em 2010, dois parlamentares foram eleitos por estado, e, em 2014, será apenas um; em 2018, novamente dois parlamentares, e assim sucessivamente.

Além de Suplicy e Aloysio, a bancada paulista no Senado conta ainda com Marta Suplicy (PT), atualmente licenciada para desempenhar a função de ministra da Cultura. O suplente em exercício é Antonio Carlos Rodrigues (PR).

(Rede Brasil Atual)

Anúncios