247 – A partir deste sábado, o Brasil tem um novo herói: o goleiro Julio Cesar, que fez uma defesa fantástica no primeiro tempo e, na hora decisiva, defendeu dois pênaltis. Com os olhos cheios d´água, Julio Cesar desabafou ao fim da partida. “Só deus e minha família sabem o que eu passei quatro anos atrás”, afirmou.

Julio Cesar se referia ao jogo entre Brasil e Holanda, em 2 de julho de 2010. Naquele dia, derrotada por 2 a 1 para os holandeses, a seleção brasileira foi eliminada da Copa da África do Sul e o peso da derrota recaiu sobre os ombros do goleiro.

“Aquilo foi inesquecível. Eu nunca vi um atleta sentir tanto um baque de uma perda como ele sentiu. Ele pegou toda uma dor da população e transformou como se fosse uma coisa só dele, e não era, era uma dor compartilhada. Futebol são 11 contra 11, perdeu o grupo todo”, disse Marcelo Guerreiro, amigo pessoal do goleiro, que viveu com ele o drama da derrota.

Julio Cesar foi, literalmente, ao fundo do poço.  Perdeu a posição na Inter de Milão e foi transferido para o Queens Rangers, que caiu para a segunda divisão da liga inglesa. Depois, ficou praticamente sem clube para treinar.

Convocado para a seleção na Copa das Confederações do ano passado, Julio Cesar foi uma das escolhas mais contestadas de Felipão. Antes dos pênaltis, ele chegou a chorar em campo, até ser confortado pelo capitão Thiago Silva. “Você é o cara, você é o cara”, disse o capitão.

O resto da história é conhecido. Julio Cesar foi testado ao máximo. Pegou dois pênaltis, mas isso não deu conforto total à seleção, uma vez que William e Hulk desperdiçaram suas cobranças. Na última penalidade, o chileno Jara bateu na trave e o Brasil saiu de um dos maiores sufocos já vividos em Copa do Mundo.

Julio Cesar saiu de campo como o grande herói, prometendo ir mais longe. “Minha história na seleção ainda não acabou”, disse ele. “Ainda faltam três degraus”.

Mesmo que o Brasil não chegue à final, Julio Cesar deu a volta por cima. Merecida.

(Brasil 247)

Anúncios