A partida entre Brasil e Camarões no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, na segunda-feira (23) teve recorde no envio de fotos pelas redes de telefonia móvel, de acordo com pesquisa do SindiTelebrasil, entidade que representa as operadoras de telefonia que atuam no país.

Durante a partida da seleção foram feitas 181 mil ligações e 1,57 milhão de comunicações de dados, incluindo e-mails, envio de imagens e mensagens multimídia. Esse tráfego equivale a cerca de 1,6 milhão de fotos, com tamanho médio de 0,55 MB, e foi 10% a mais que o recorde anterior, na partida entre Argentina e Bósnia, no dia 15 de junho, no Maracanã. Na ocasião foram feitas 1,42 milhão de comunicações de dados, de acordo com a entidade.

Na rede de telefonia móvel, o maior volume de dados trafegados ficou concentrado na tecnologia 3G. Para medir o tráfego, o SindiTelebrasil considerou um período de sete horas, começando três horas antes da partida e se encerrando duas horas depois do jogo.

Nesse período, a entidade aponta que o tráfego de dados foi equivalente a 725 mil comunicações de dados pela tecnologia 3G e 318 mil pela tecnologia 4G, que representou cerca de 20% do tráfego total de dados. Pela rede WiFi das prestadoras também foi verificado tráfego intenso, de 532 mil comunicações de dados.

Também nesta partida foi batido recorde de maior período de pico de envio de dados, que começou às 15h e se estendeu até 18h. Os dados mostram que a rede suportou um volume intenso de conexões por três horas ininterruptas, bem acima da média dos demais jogos, de uma hora de duração do pico.

A rede para chamadas telefônicas superou em chamadas as partidas anteriores, cujo recorde havia sido de 154 mil ligações, no Maracanã. O período com o maior número de ligações ocorreu entre 15h e 16h e voltou a crescer no fim da partida.

Ao todo, 4.738 antenas fazem parte da infraestrutura interna instalada pelas prestadoras nas arenas. Para a instalação da infraestrutura de telefonia móvel e de banda larga, as prestadoras fizeram uma parceria para a implantação de um projeto único, com investimentos de R$ 226 milhões e infraestrutura compartilhada. Especialmente no Mané Garrincha, foram instaladas 614 antenas em todo o estádio, ligadas por 17 quilômetros de fibras ópticas.

Além da cobertura “indoor”, que permanecerá instalada nos estádios depois da Copa, as empresas de telefonia também investiram R$ 1,3 bilhão nas cidades que sediam os jogos, ampliando em 28%, em média, a infraestrutura que ficará de legado para a população. Nas 12 cidades, entre 2013 e 2014, foram instaladas mais de 15 mil novas antenas de 3G e 4G. Os clientes das prestadoras contam ainda com aproximadamente 120 mil pontos de WiFi nas 12 cidades. Essa infraestrutura de telefonia móvel vem sendo reforçada por mais de 10 mil quilômetros de fibras ópticas. Em Brasília, desde o ano passado foram instaladas 1.195 novas antenas e a cidade conta com 1,7 mil pontos de WiFi.

(G1 SP)

Anúncios