Os servidores do Hospital Instituto Dr. José Frota, em Fortaleza, estão proibidos “promover, liderar ou apoiar, qualquer movimento de paralisação parcial ou total das atividades no hospital” por determinação da juíza Nádia Maria Frota Pereira, proferida na sexta-feira (6). De acordo com a juíza, os servidores não respeitaram o prazo de 48 horas estipulado por lei para a comunicação à direção do hospital, da paralisação.

Na decisão, a juíza declara a ilegalidade do movimento dentro das dependências do IJF, “haja vista que entre a data e hora do protocolo (15h 36 min. do dia 04.06.2014 ) e o momento da paralisação parcial (dia 06.06.2014 às 07h), não decorreram 48 horas”. A juíza estipula diária de R$ 5 mil em caso de descumprimento da decisão judicial e determina que os servidores “se abstenham de realizar qualquer tipo de piquetes, aglomeração e/ou assembleia a menos de 500 quinhentos metros da sede do IJF”.

Confira: Decisão

(Blog do Roberto Moreira)