Crédito: Tomaz Silva/Agência Brasil

O corte de salários dos garis da Empresa Municipal de Limpeza Urbana (Emlurb), em greve há mais de um mês, foi suspenso na última segunda-feira, 26, pela juíza Daniela Pinheiro Gomes, da 7ª Vara do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-CE). A decisão também obriga a Prefeitura Municipal de Fortaleza a devolver os valores descontados dos trabalhadores na folha de maio. Categoria reivindica melhores condições de trabalho e reposição de perdas da inflação, entre outros.

Além da devolução dos descontos nos contracheques de maio, foi determinada a aplicação de multa de R$ 5 mil para cada dia de descumprimento da ordem judicial. Na tarde de segunda, os garis de Fortaleza foram às ruas pedir dinheiro em semáforos e terminais de ônibus, em protesto contra o corte salarial dos grevistas. Uma assembleia para deliberar sobre a suspensão da greve está marcada para esta quarta-feira, 28, às 8h30min, na sede da Emlurb.

Também na manhã desta terça, os trabalhadores distribuíram panfletos com suas demandas em semáforos no cruzamento das ruas Murilo Borges com Rogaciano Leite, no bairro Guararapes. Com a reversão do desconto nos salários, a categoria espera que a Prefeitura garanta as outras reivindicações, informou o Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort).

Dentre as principais reivindicações dos garis, estão a reestruturação do cargo com valorização dos trabalhadores e concurso público; reajuste de 6,38%; transporte adequado para os garis na ida e volta, jornada de trabalho de seis horas, com o acréscimo proporcional de 33% no salário base, no auxílio refeição e nas demais vantagens; Equipamentos de Proteção Individual (EPIs); crachás; reforma nas subsedes da Emlurb (ZGLs) e vale transporte.

Redação O POVO Online
Anúncios