Durante todo o dia desta segunda, 19, boatos de uma possível paralisação conjunta das polícias Militar, Civil, Federal e Rodoviária Federal espalharam um clima de insegurança no Ceará. Eles foram espalhados por redes sociais, principalmente por meio de whatsapp. O POVO Online ouviu cinco entidades representativas das categorias da polícia e do Corpo de Bombeiros. Todos negaram qualquer paralisação no Ceará.

Os presidentes da Associação dos Profissionais da Segurança (ASP), Capitão Wagner; da Associação de Praças da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros do Ceará (Aspramece), P. Queiroz; e o da Associação dos Cabos e Soldados Militares do Ceará (ACSMCE), ex-cabo Flávio Sabino informaram ao O POVO Online que não existe nenhuma intenção de paralisação. As associações sequer agendaram assembleia para debater as questões da categoria.

Já o diretor de comunicação do Sindicato dos Policiais Federais do Ceará (Sinpof), Ulisses Sampaio, informa que haverá passeata em Brasília, na quarta-feira, 21, organizada pela Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol). Ele garante, no entanto, que não haverá paralisação no Ceará. Apenas um grupo de cinco a dez policiais do Sindicato irá viajar ao Distrito Federal para apoiar a manifestação.

Ainda segundo Ulisses, na própria quarta-feira haverá assembleia da categoria no Estado. “Nela, será apresentado à categoria a proposta que o Governo (Federal) formalizou. Vai ser analisado se a categoria aceita ou não. Vamos definir o rumo do movimento com possibilidade de paralisação futura”, disse.

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Ceará (Sinpol), Gustavo Simplício, afirma que não existe a possibilidade de paralisação da categoria nesta quarta. Ele informa que há uma assembléia prevista para o sábado, dia 31.

Paralisação Nacional

A Cobrapol está organizando a paralisação nacional para esta quarta-feira, 21, a partir de Brasília. De acordo com a Confederação, os estados de Alagoas, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Pará, Paraíba, Rio de Janeiro, Rondônia, Santa Catarina e Tocantins confirmaram participação no protesto, indo à Capital Federal. O presidente da Cobrapol, Jânio Bosco Gandra, esclarece que a atividade é para cobrar do Governo Federal uma política nacional de segurança pública.

O boato difundido nesta segunda-feira, 19, misturava a mobilização que está sendo chamada para Brasília com uma suposta paralisação na cidade. “Fortaleza ficará literalmente apavorada!”, dizia o texto apócrifo, compartilhado fortemente nas redes sociais.

 Redação O POVO Online

Anúncios