Prefeitura de Umirim cancela Carnaval 

Nesta segnda-feira, a Prefeitura Municipal de Umirim, a 109, 5 Km de Fortaleza, também divulgou que não realizará a festa de Carnaval deste ano. Por meio de nota, no site da Prefeitura, o prefeito municipal “Zé da Marieta” anunciou que não realizará a festa, pois “os recursos que seriam destinados ao evento, serão investidos em ações no combate à seca, na saúde pública, tratamento de dependentes químicos e segurança”.

O prefeito diz ainda: “Entendemos que neste momento, a festa de carnaval não é prioridade em nosso município, estamos atentos, buscamos sempre priorizar os anseios e necessidades de nossa gente”. 

O Povo – Em tempos de seca no Ceará, o Carnaval fica no escanteio nas prioridades de prefeituras. Duas cidades do Interior já anunciaram que não terão os festejos carnavalescos neste ano. Nesta quinta-feira, 20, foi a vez de Solonópole. A festa, que já havia sido licitada, foi cancelada por orientação do Tribunal de Contas do Município (TCM) e recomendação do Ministério Público do Ceará. 

A justificativa da Prefeitura: o estado de calamidade pública por causa “da falta de chuvas que já vem se arrastando de anos anteriores e das dificuldades financeiras em que o município se encontra”. Segundo a Prefeitura de Solonópole, ano passado, também não houve Carnaval, devido à escassez de água e a dívidas deixadas pela gestão anterior. 

Ontem foi a prefeitura de Maranguape que cancelou as atividades carnavalescas. O prefeito Átila Câmara explicou que o município precisa de investimentos para que a situação melhore. “Cerca de 30 comunidades ficaram sem abastecimento”, contou. 

Atualmente, Maranguape recebe ações emergenciais para que o abastecimento possa ser realizado. “A gente adquire água da Cagece e transporta para as localidades por meio de carros-pipa”, relata. 

Para que a decisão fosse tomada, Átila lançou em sua página no Facebook uma enquete, onde a população optou pelo cancelamento da festa. “Foi quase unânime para que o Carnaval fosse cancelado”. Com isso, R$ 200 mil, que seriam investidos na folia de quatro dias, serão convertidos em obras para escavação de poços profundos. “Será melhor assim”, acredita o prefeito. 

(O Povo Online e Ibiapaba Agora)

Anúncios