“Eu tô aqui desde 1998, mas eu sou natalense. Eu tenho uma dependência química, já fui hospitalizado eu acho que umas 10 vezes em hospital psiquiátrico, eu saio bem mas eu não consigo me firmar”. Esse é o depoimento de um dos mais de 100 moradores que residem na Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza.

De acordo com outro morador da praça, várias entidades e até mesmo a Prefeitura de Fortaleza tentam ajudar, mas na maioria das vezes o próprio morador prefere permanecer no local. “Eles perguntam quem quer e quem não quer. Porque tem gente que quer ficar aqui mesmo”, conta.

Para o secretário municipal de Trabalho, Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Cláudio Ricardo, o fenômeno de moradores de rua não é exclusividade de Fortaleza. De acordo com ele o problema é alarmante, mas é um fenômeno mundial. “Isso é em função da elevada concentração urbana principalmente nessas megas cidades. Nenhum poder publico tem como abrigar uma população muito grande na rua”.

O secretário também ressaltou as medidas que estão sendo tomadas para melhorar a situação dos moradores de rua, afirmando que vão entregar mais dois abrigos para a população e ampliar os espaços de abrigamento.

Com a intenção de melhorar a estrutura da região, o prefeito Roberto Cláudio a anunciou o investimento de R$ 500 milhões para melhorar a estrutura do centro da cidade. Com a construção de edifícios-garagem e estacionamento no subsolo de algumas praças, como a do Ferreira, da Bandeira e José de Alencar.

De Fortaleza, Savio Manfredini

Via Tribuna Band News FM

Anúncios