O senador Eunício Oliveira, pré-candidato ao Governo do Estado pelo PMDB, afirmou que o governador Cid Gomes (Pros) tem até o próximo mês de abril para decidir se irá apoiá-lo ou não. O senador participou ontem da gravação do programa Jogo Político, que irá ao ar na próxima segunda-feira, pela TV O POVO, onde declarou que seu partido deverá se reunir daqui a dois meses com as demais siglas da aliança – PT, Pros e PCdoB -, para decidir definitivamente os rumos políticos para as eleições de outubro. “O PMDB estipulou esse prazo. É uma data nossa. Não sendo possível entendimento entre a aliança, cada um vai cuidar do seu rumo”, afirmou.

Recentemente, a presidente Dilma Rousseff (PT) convidou Eunício para assumir o Ministério da Integração. O peemedebista recusou o convite e preferiu ficar à disposição do partido para uma possível candidatura. “Foi uma decisão pessoal, onde tive o apoio de todo o partido. O que pesou na minha decisão foi a gratidão que tenho pelo meu estado e a vontade que tenho de governá-lo”.

Questionado sobre a declaração de Luizianne Lins (PT) de que nas eleições de 2012 o governador teria feito um acordo para que o PMDB apoiasse o então candidato a prefeito Roberto Cláudio (Pros), com a promessa de que Cid escolheria Eunício como seu candidato a governador em 2014, o peemedebista disse que naquele ano houve conversas que ele prefere, neste momento, guardar para ele.

“Na política, você nunca vai a cartório e nem sempre fala diretamente as coisas. Na política você recebe sinalizações, define quadros e conversa para frente, obviamente dentro das possibilidades, porque tudo é mutável. Então, eu quero guardar para mim essa conversa lá de trás com o governador, para que não sirva de especulação e não interfira na conversa que desejo ter com ele mais para frente”, disse.

 (Katy Araújo, O Povo)