Dia, sim, outro, também, Eunício Oliveira procura Michel Temer para queixar-se da bomba que está se armando no Ceará. Caso Cid Gomes não o apoie – algo pouco provável hoje – Eunício concorreria ao governo batendo de frente com as duas máquinas, a estadual e a federal.

Uma das possibilidade que a cúpula peemedebista já tratou com Eunício é a de construir seu nome para a Esplanada. Nesse cenário haverá dois problemas – o menor deles, explicar a Vital do Rêgo que ele dançou; o outro, convencer Dilma Rousseff a entregar a Eunício e ao PMDB um ministério com robustez suficiente para resolver a parada.

Sim, ninguém enxerga Eunício, que já foi ministro das Comunicações, topando abandonar o sonho de ocupar a cadeira de Cid Gomes em troca do mediano Turismo ou do pouco valorizado Ciência e Tecnologia, por exemplo.

Por Lauro Jardim, via Veja Online