O deputado federal Artur Bruno (PT) afirmou que é legítimo a ex-prefeita Luizianne Lins (PT) defender que a legenda dispute o governo do Ceará nas eleições deste ano. O parlamentar, no entanto, avalia que, neste momento, é importante que todas as lideranças trabalhem para assegurar “o melhor” para a coalizão política e partidária.

Em março
A decisão sobre a candidatura própria ou a manutenção da aliança com o atual grupo governista será tomada pelo diretório estadual do PT, que deve se reunir no mês de março para deliberar sobre todas as possibilidades. “A ex-prefeita tem condição de disputar qualquer coisa, porque tem densidade política, liderança e peso”, disse o petista, acrescentando que, apesar do poder político, Luizianne precisaria ter maioria no diretório para que a tese ganhe corpo dentro do partido, coisa que, até agora, não aconteceu.

Argumento
Luizianne argumenta que o governador Cid Gomes (então no PSB) lançou candidato à Prefeitura de Fortaleza, em 2012, assumindo oposição ao PT, que lançou o advogado Elmano de Freitas para a sucessão municipal, e não deixou de apoiar a presidente Dilma Rousseff, pré-candidata à reeleição. Se a tese de Luizianne avançar, a presidente Dilma Rousseff (PT) teria a possibilidade de três palanques no Ceará.

Estranho
Ainda sobre as articulações eleitorais, Artur Bruno disse que estranhou a conversa que o presidente municipal do PT, Elmano de Freitas, vem travando com o PSDB, do ex-senador Tasso Jereissati.“Esse tipo de contato, articulação entre petistas e tucanos, é vedado, porque há uma resolução do diretório nacional do partido”, disse, acrescentando que, se for o caso, e o PT decida adotar uma outra postura que não terá a participação do ninho tucano.

O PSDB compõe o grupo de oposição ao governo Cid Gomes, e, desde o ano passado, vem conversando para lançar candidatura ao Palácio da Abolição.

Com informações do jornal O Estado