A Polícia Militar do Ceará ensaia mais uma crise para o governo Cid Gomes descascar. Se em 2012 a revolta de soldados, cabos e sargentos levou Fortaleza ao caos, agora são os oficiais que ameaçam quebrar a ordem das coisas na pasta da Segurança Pública.

Oficiais superiores (de major a coronel) estariam insatisfeitos com os vencimentos que se tornaram “desiguais” e “equivocados”. Eles reclamam que, com as gratificações dadas pelo governo para o Batalhão de Choque e Raio, tem soldado ganhando mais do que tenente, capitão e major. A crise se dá nos bastidores da Corporação, mas chegou ao comando da PM.

No final do mês passado, na semana do Natal, teria havido tensão entre o governo e oficiais de três estrelas. Uma trégua teria sido dada e novas conversas seriam retomadas no fim deste mês. No facebook, há um grupo (fechado) de oficiais discutindo o abacaxi. A SSPDS diz que está tudo sobre controle e não há cabo de guerra.

(Eliomar de Lima, O Povo)