Após intensas reivindicações a favor de inclusão educacional, a primeira escola municipal bilíngue para surdos em Fortaleza começa a funcionar a partir de março deste ano. A escola funcionará em tempo integral e ofertará ensino para, aproximadamente, 200 alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental.

Ivo Gomes, secretário municipal da Educação, representantes da comunidade surda e a equipe da Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação (SME) discutiram detalhes acerca da implantação da unidade na última terça-feira (7). Durante a reunião, foram apresentados prédios para o funcionamento da escola, que deve ser definido em breve, além da criação de um grupo de trabalho formado por técnicos da SME e representantes da comunidade surda.

Boa parte dos deficientes auditivos, ainda em idade escolar, se encontram em escolas regulares. Apesar de ser recomendado pelo Ministério da Educação (MEC), especialistas afirmam que o estudo em escolas bilíngues, que compreende a lingua brasileira de sinais (libras) como primeira língua e a Língua Portuguesa escrita como segunda, permite que o aluno de séries iniciais se alfabetize em ambiente favorável e que, somente após esse período, é que se deve incluí-los em escolas regulares.

Conforme o censo de 2010 do IBGE, no Estado, existem 250 mil surdos, destes, cerca de 35 mil estão em idade escolar. No entanto, existem apenas duas unidades de ensino bilíngue no Ceará, fato que gerou alguns movimentos a favor do cumprimento do decreto 5626/2005, que garante esse direito aos deficientes auditivos.

(Diário do Nordeste)