Com concentração de sua economia no setor de serviços – intermediação financeira, comércio e administração pública – Fortaleza lidera a geração de riquezas entre as cidades nordestinas. Segundo a publicação Produto Interno Bruto dos Municípios (PIB) 2011, divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Capital cearense responde por 7,56% de tudo o que é produzido na região, com PIB de aproximadamente R$ 42 bilhões. Na sequência, aparecem Salvador (R$ 38,82 bilhões e 6,99% de participação) e Recife (R$ 33,15 bilhões e 5,97%). Considerando o Estado, Fortaleza lidera a geração de riquezas, com quase 48% do PIB local no ano em questão.

Já no contexto nacional, a cidade ocupa a nona posição, sendo responsável por 1% do PIB do País. Na análise de ganhos e perdas, no período que vai de 2007 até 2011, a Capital do Ceará manteve sua participação no indicador praticamente estável, saindo de 0,9% nos dois primeiros anos para1% nos três anos seguintes.

Em relação à contribuição dos setores ao PIB, Fortaleza apresentou, em 2011, a 17ª colocação do País considerando a indústria, com esta contribuindo com 0,72% para o valor agregado desse setor à geração de riquezas no Brasil; e a sétima maior posição relacionada aos serviços, com as atividades ligadas a este setor respondendo por 1,36% do valor agregado do mesmo no Brasil. Já no cenário nordestino, Fortaleza lidera em ambos os setores.

Contribuições

“Verifica-se, assim, que o setor de serviços é o que gera maior contribuição para o cálculo do PIB de Fortaleza, enquanto que esse setor respondeu por 73,1% do indicador do Ceará em 2011, em Fortaleza, para o mesmo período, ele respondeu por 80,61% do total da capital, contra 78,62% verificado para o mesmo setor em 2010”, destaca Nicolino Trompieri Neto, Analista de Políticas Públicas do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece).

Entre as atividades que explicam esse crescimento da participação do setor de serviços no PIB municipal, completa o especialista, “está o comércio, com a construção de novos supermercados e shoppings; e alojamento e alimentação, atividades fortemente correlacionadas com o aumento do fluxo de turistas que gera um maior o faturamento nos hotéis e restaurantes”.

Outra atividade importante para o setor de serviços em Fortaleza no ano considerado pela publicação, lembra Nicolino, é a administração pública, que apresentou a sexta maior contribuição para o valor agregado da atividade no total do País e a primeira do Nordeste.

Concentração no País

A geração de renda permanece extremamente concentrada no Brasil, segundo os dados do IBGE. Apenas três municípios foram responsáveis por um quinto do PIB brasileiro em 2011, o equivalente a 20,6% de toda a geração de renda no País. São Paulo liderou o ranking, seguido por Rio de Janeiro e Brasília. Quando considerados os seis primeiros municípios da lista, figuram ainda Curitiba, Belo Horizonte e Manaus, mesmo resultado verificado em 2010. Essa ordem permanece a mesma desde 2008. Juntos, os seis municípios foram responsáveis por 25% do PIB e 13,7% da população brasileira. Segundo o órgão, todos são concentradores da atividade de serviços, com exceção de Manaus, onde há equilíbrio entre a indústria e os serviços.

ANCHIETA DANTAS JR. – Diário do Nordeste

Anúncios