Cleyton Ferreira Santiago desapareceu em 30 de novembro (Foto: Paula Santiago/Arquivo pessoal)

Um pintor de paredes de 29 anos está desaparecido há 49 dias no Leste Europeu. Cleyton Ferreira Santiago, 29 anos, é de Anápolis, a 55 km de Goiânia, mas mora na Europa há oito anos. Segundo a família, ele sumiu ao tentar atravessar a fronteira da Croácia com a Eslovênia, de forma irregular.

A mãe de Cleyton, a professora Eva Rodrigues de Brito Santiago, 48, acredita que o goiano tenha sido preso ao entrar na Eslovênia. “É difícil demais essa situação, a gente não sabe o que esse menino está passando”, disse ao G1.

Cleyton morou por seis anos em Portugal e há dois se mudou para a Bélgica, onde trabalha na construção civil, em situação ilegal. No fim de setembro, viajou de carro com a namorada para passear nos países do Leste Europeu, mas acabou detido na Eslovênia. Segundo a mãe, o pintor foi solto um mês depois, após providenciar a documentação.

Mas, em vez de ser liberado no território esloveno, foi deixado na Croácia. “Ele não deveria ter sido solto em outro lugar e sim deportado para o Brasil”, reclama a mãe.

Em busca de respostas, Eva viajou para a Europa no dia 29 de novembro. “Fiquei lá duas semanas, na esperança de encontrá-lo, mas a gente esbarra na burocracia. Desde o início, eu percebo uma atenção por parte das autoridades da Croácia. Mas na Eslovênia, há um descaso muito grande”, relata.

Irmã de Cleyton, a enfermeira Paula Rodrigues Santiago, 31, também conversou com o irmão por telefone no dia em que ele desapareceu. “Eu disse para ele voltar para o Brasil, mas ele falou que precisava voltar para a Bélgica, porque a casa dele, as coisas dele estavam lá”, explicou.

Segundo Paula, o irmão trocou mensagens de celular com um amigo por volta das 23h. “Ele disse que algo havia dado errado e ele iria voltar para o posto onde ele havia sido deixado”, relata.

O secretário de Assuntos Internacionais de Goiás, Elie Chidiac, disse que entrou em contato com os embaixadores dos dois países. “As duas embaixadas estão trabalhando em conjunto no caso”, afirmou.

Por meio de nota enviada na noite desta quarta-feira por sua assessoria de imprensa, o Ministério das Relações Exteriores informou que as embaixadas do Brasil em Liubliana e Zagreb prestaram apoio a Eva Santiago durante sua viagem à Eslovênia e à Croácia. As duas embaixadas, de acordo com o comunicado, estão acompanhando as investigações das polícias dos dois países com o objetivo de localizar o brasileiro desaparecido. Disse ainda que o consulado do Brasil em Bruxelas também acionou as autoridades migratórias europeias para tentar localizar o rapaz.

(G1 Goiás)

Anúncios