O Ceará registrou uma queda, de cerca de 50%, na taxa de incidência de aids em 2013. Este é um ano atípico, tendo em vista que houve a epidemia da doença apresentou uma tendência de crescimento no período compreendido entre 1996 e 2012.

Desde primeiro caso conhecido da doença em 1983, foram registrados 13.208 casos de aids em cearenses no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) até novembro de 2013. Somente em 2012, foram confirmados 1.072 casos de aids, sendo 58% apenas em Fortaleza.

Segundo Teófilo Gravinis, que é assessor técnico da coordenação estadual de DST Aids da Sesa, o número de casos diminuiu principalmente na transição vertical de HIV, que é quando a mãe transmite o vírus para o filho. “O perfil do Brasil é um perfil de estabilização e aí, no geral, os estados são parecidos. Para nós, houve essa coisa favorável que foi a diminuição da incidência da gestante para o bebê”.

Para essa diminuição, Gravanis garantiu que algumas políticas públicas foram essenciais, como o aumento de capacitações dos profissionais de saúde e a disponibilização de reste rápido de HIV. Tudo isso também influencia no índice de mortalidade, já que com o tratamento adequado, o paciente ganha longevidade.

 

Interiorização

Segundo a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), o número de municípios do estado com registro da doença é crescente, passando de 72 no ano de 2000 para 98 em 2012. Mesmo assim, apesar da interiorização da epidemia, constata-se que os 17 municípios mais populosos concentram 844 casos – cerca de 78% –, sendo por isso considerados prioritários para o controle da doença.

“Nos últimos 10 anos, houve um crescimento de serviços especializados em HIV, como os centros universitários que atendem esses pacientes, com medico infectologista. E agora, não há necessidade de vir a Fortaleza”, ressaltou. Os pacientes podem ter tratamento gratuito da Aids nos municípios de Aracati, Brejo Santo, Cascavel, Juazeiro do Norte, Maracanaú, Quixadá e Sobral.

A medicação gratuita é garantida pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a única forma de acesso. Quando um paciente realiza o tratamento, ele diminui o poder de transmissão do vírus.

Contexto nacional

O Brasil registrou 656.701 casos de aids no período de 1980 a 2012, conforme os últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde. Desse total, a região Nordeste representa apenas 13,5%.

No contexto do Nordeste, o estado do Ceará registrou 2,1% dos casos, ocupando o terceiro lugar no ranking dos estados da região.

Crianças

No Ceará, o primeiro caso de aids em criança foi notificado em 1985. No período de 2001 a 2013 um total de 211 casos foram notificados entre crianças menores de 5 anos de idade.

O número de gestante notificadas com HIV que estava ascendendo até 2009, vem apresentando declínio. Este é fato preocupante, uma vez que quanto mais gestantes forem diagnosticadas precocemente, maior a chance de que as mesmas, com o tratamento profilático adequado, não venham a transmitir o HIV para seus bebês.

Apesar disso vem sendo observado um declínio importante de casos de Aids entre crianças a partir do ano de 2009.

Ranking de cidades do Ceará

Município Casos em 2013 Total de casos desde 1983
Fortaleza 223 8.027
Caucaia 24 534
Maracanaú 37 519
Sobral 30 317
Aracati 1 148
Iguatu 6 143
Juazeiro do Norte 4 106
Cascavel 2 104
Russas 4 103

*Dados da Sesa

Dia Mundial de Luta contra a Aids

O Dia Mundial de Luta contra a Aids acontece no próximo domingo (1º). Para celebrar a data, a Sesa disponibilizará atendimento, neste sábado (30), para prevenir a doença. Serão realizados testes rápidos de HIV/Sífilis e a entrega dos resultados já é feita na manhã do sábado.

Em caso de resultado positivo nos testes, uma equipe faz o encaminhamento para tratamento nos serviços especializados de DSTs e Aids na rede do SUS. Para orientar e alertar sobre os cuidados com a doença, também haverá distribuição de dicas de como evitar a transmissão e como fazer o tratamento da doença, além da distribuição de preservativos masculinos e femininos.

(Hayanne Narlla, Tribuna do Ceará)

Anúncios