Jornal GGN – O Estado de Alagoas, onde nasceu e morreu o líder Zumbi dos Palmares, patrono do Dia da Consciência Negra, celebrado nesta quarta-feira (20), é o estado onde os negros são mais vítimas de homicídios. De acordo com um estudo divulgado pelo Ipea na terça-feira (19), morrem assassinados 17,4 negros para cada vítima de outra cor. Em todo o Brasil, cerca de 39 mil negros são assassinados todos os anos, enquanto indivíduos de outra cor somam 16 mil.

 

Os homicídios ainda reduzem em quatro anos a expectativa de vida de homens negros – nas  outras etnias, a taxa é de apenas três meses e meio. O levantamento faz parte da Nota Técnica Vidas Perdidas e Racismo no Brasil, que calculou os impactos de mortes violentas , como acidentes de trânsito, homicídio e suicídio, na expectativa de vida de negro e não negros em todos os estados da federação. Os dados foram colhidos com base no SIM (Sistema de informações sobre Mortalidade) e do Censo Demográfico do IBGE de 2010.

 

O documento afirma que “o negro é duplamente discriminado no Brasil, por sua situação socioeconômica e por sua cor de pele. Tais discriminações combinadas podem explicar a maior prevalência de homicídios de negros vis-à-vis o resto da população”. 

 

No estado alagoano, a taxa de homicídio para população negra atingiu, em 2010, 80 a cada 100 mil indivíduos. Ainda segundo o ranking, Espírito Santo e Paraíba também são destaques negativos com, respectivamente, 65 e 60 homicídios de negros a cada 100 mil habitantes. Com isso, os assassinatos diminuem a expectativa de vida dos homens negros em 2,97 anos no estado capixaba e, na Paraíba, em 2,81 anos.

 

Veja a íntegra do documento aqui.

 

 

                                              Arte: Ipea

Anúncios