A ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), disse ontem que, na próxima semana, lançará “manifesto” a favor da candidatura petista ao Governo do Estado e não descartou a hipótese de ela própria disputar o cargo.

Luizianne se disse “angustiada” com a possibilidade de dividir palanque com o governador Cid Gomes (Pros) na campanha pela reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). Embora aliados durante seis anos, os dois estão rompidos desde 2012.

“Imaginar o PT no palanque do candidato do Cid? Me poupe. Minha tristeza é essa, minha angústia é essa. O PT não é partido de ser sublegenda de ninguém”, esbravejou, em entrevista ao O POVO na noite de ontem, antes do último debate do Processo de Eleições Diretas (PED) da sigla, em Fortaleza.

A ex-prefeita e pelo menos três correntes internas do PT, de força minoritária, defendem que haja palanque triplo para Dilma em 2014: o do próprio partido, o do favorito de Cid e o do senador Eunício Oliveira (PMDB), que briga para se viabilizar ao Palácio do Planalto.

“Se vamos ter que nos dividir entre dois candidatos da base aliada, do PMDB e do tal do Pros, não tem nenhum problema da Dilma ter três palanques”, avaliou. O grupo majoritário no PT, liderado pelo deputado federal José Guimarães, defende apoio ao nome indicado por Cid. Segundo Luizianne, o PT nacional trabalhará pela unificação.

Debate do PED

Ontem foi realizado o último debate entre candidatos à presidência do PT estadual. A eleição ocorre no próximo dia 11. Houve embate entre Luizianne e o favorito na disputa, Diassis Diniz, apoiado por Guimarães. A petista foi acusada de abandonar os diretórios do PT no Interior e criticada por, agora, se voltar contra aliança com os Ferreira Gomes. Luizianne chegou a retrucar, apoiada por parte da plateia.

(Hébely Rebouças, O Povo Online)

Anúncios