O titular da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste – Sudene, Paes Landim, em evento, propõe a criação de um moderno Centro com objetivo de unificar Estudos e Pesquisas relativas à previsão do tempo e pesquisa de Seca no Nordeste.

Durante o “Seminário de avaliação da Seca 2012/2013”, realizado na Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (FUNCEME), do qual participou da mesa redonda “Sistemas Nacionais de informações sobre Secas”, o Superintendente lançou a proposta de criação do CENEC. Veja a seguir, na íntegra o discurso de Paes Landim:

“Minhas senhoras e meus senhores é com grande satisfação que retorno à terra de Iracema e José de Alencar, atendendo ao convite da FUNCEME – Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos, para participarmos do “Seminário de Avaliação da Seca 2012/2013” e fazer parte da Mesa: “Sistemas Nacionais de Informação Sobre Secas”.

O tema é emblemático para os nordestinos, despertando paixões e discussões acaloradas e, acredito, teremos mais uma ao final da minha fala. Os primeiros métodos de Previsões de Secas no Brasil datam de 1940, realizados pelo carioca, filho de mãe maranhense, Adalberto Serra. Se já avançamos muito na Previsão do Tempo, dia a dia, ainda patinamos nas previsões dos grandes períodos de secas, haja vista esta pela qual estamos passando, sem que tivéssemos nenhuma previsão, fomos todos apanhados de surpresa por esta que é a maior Seca dos últimos cem anos.

Não podemos deixar de reconhecer os avanços alcançados pelo INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e pelo CPTEC – Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos, ligados ao MCTI – Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação. Entretanto, minhas senhoras e meus senhores, a grande verdade é que ainda não conseguimos prever as Grandes Secas, nem prever com maior acurácia a distribuição pluviométrica espacial, de forma desigual, na região semiárida do Nordeste e, nem mesmo, os veranicos, dentro das quadras chuvosas, que tanto afetam as culturas menos precoces.

Ressalte-se que os melhores trabalhos de monitoramento e previsão do tempo, de interesse direto às populações mais afetadas pelas secas, realizados até o momento, foram obras da SUDENE, baseados e suportados em dados de uma Rede de mais de 2000 Estações Pluviométricas.

Sendo assim, minhas senhoras e meus senhores, entendo que é chegado o momento de colocarmos a questão de previsão de Seca, nas mãos daqueles que, efetivamente, são os mais afetados por tão inclemente fenômeno da natureza: os nordestinos. Esta é a terra onde a Seca é literalmente uma questão de vida ou morte, repetindo-se décadas após décadas. Portanto, aproveito este encontro para desfraldar a bandeira da criação de um Centro de Estudos Climáticos do Nordeste – CENEC, cujo embrião já existe que é, a FUNCEME.

Nossas previsões climáticas ainda são realizadas utilizando-se de modelos numéricos importados dos EUA: o RAMS – Regional Atmospheric Modeling System, e o RSM – Regional Spectral Model. Não somos adeptos da xenofobia e sabemos que o clima é um fenômeno de escala global. Entretanto causa-nos estranheza, aos mais leigos, que alguns pesquisadores não consideram em seus modelos a estreita correlação entre os períodos de secas e o ciclo de atividade solar com picos de 11 anos. 
A criação do CENEC- Centro de Estudos Climáticos do Nordeste, localizado na Região Nordeste, seria um centro de estudos e pesquisas nos moldes do CPTEC que fica em Cachoeira Paulista/SP, voltado para a previsão do tempo e, principalmente, para a previsão de secas. Este centro seria responsável pelo gerenciamento, arquivamento, tratamento e interpretação dos dados de temperatura das águas dos oceanos (boias oceânicas) e dos dados de sondagens atmosféricas (balões), tendo ainda como objetivos:

1 – Desenvolver, adaptar e aplicar modelos numéricos de simulação climática.
2 – Realizar, em conjunto com outros grupos de estudos de clima do Nordeste, a previsão de tempo para toda região nordestina.
3 – Realizar o monitoramento do desmatamento dos Biomas Caatinga e Cerrado na Região Nordeste.
4 – Estudar e acompanhar os processos de desertificação em andamento na Região Nordeste.
5 – Realizar tratamento de imagens de satélite voltado para a regularização fundiária, planejamento urbano e na prevenção de desastres naturais.

A criação de um centro de pesquisas deste porte requer uma grande e avançada Infraestrutura de Tecnologia da Informação, com altíssima capacidade de armazenamento e processamento de dados, para utilização na simulação numérica de modelos climáticos. Implica dizer em construir, no Nordeste, talvez o terceiro ou quarto maior data center do Brasil.

Esta nossa proposta também prevê que um grupo de trabalho interdepartamental, juntamente com a expertise da FUNCEME, analise qual a melhor forma de governança do CENEC, levando se em conta a atual estrutura do MCTI, em especial o CPTEC e os núcleos avançados do INPE no Nordeste, bem como os outros grupos de pesquisadores que trabalham com simulação e previsão de tempo no nordeste.

Minhas senhoras e meus senhores, o Brasil é um país continental, temos espaço para todos. Entretanto, é chegada a hora dos nordestinos assumirem mais esta responsabilidade e, como bom nordestino, penso que é nosso dever lutarmos para concretizar este centro de pesquisas em terras nordestinas.

Muito Obrigado”

 Fonte: Sudene