Por Leo Salles e Rodrigo Tannuri

O UFC Barueri teve sabor amargo para os protagonistas brasileiros nesta quarta-feira à noite em Barueri (SP). Demian Maia, que pisava no octógono embalado por três vitórias consecutivas, foi derrotado pelo norte-americano Jake Shields por decisão dividida da arbitragem no evento principal da noite.

Também entre os meio-médios, no co-evento principal, o capixaba Erick Silva sofreu um nocaute para o sul-coreano Dong Hyun Kim e segue em um caminho irregular no maior evento de MMA do planeta. Os destaques ficaram por conta das vitórias de Thiago Silva, Fabio Maldonado e Rousimar Toquinho.

Quando a luta entre Demian Maia e Jake Shields foi oficializada, todos imaginaram que o octógono seria palco de uma batalha de jiu-jitsu. Mas as expectativas não se concretizaram. Os lutadores rechaçaram a trocação e buscaram a luta agarrada, alternando posições por cima e por baixo no solo quando conseguiam a queda.

O resultado (decisão dividida) deu a dimensão real do ritmo do combate, com o brasileiro e o americano alternando posições de superioridade. No fim, após uma luta em ritmo morno e com pouco desenvolvimento no chão, o ex-contender da divisão dos meio-médios levou a melhor e adiou o sonho de Demian de chegar perto de disputar novamente um título do Ultimate.

“Perdi posições que geralmente não perco, não sei se foi a emoção de lutar em casa. Essas pegadas de costas que eu não costumo perder me custaram a luta. Mas as coisas mudam o tempo todo no UFC, logo após minha primeira derrota, para o Nate Marquardt, eu venci uma luta e já tive a chance de disputar o cinturão de médios, então não dá pra ficar pensando muito nisso.”

Mais cedo, Erick Silva e Dong Hyun Kim, ao contrário do evento principal, travaram um duelo onde a tônica foi a explosão e a energia colocada golpe a golpe pelos lutadores. O capixaba tomou a iniciativa do combate, porém Kim cresceu do meio para o fim e terminou o primeiro assaltou montado e acertando golpes duros de cima para baixo.

No segundo round, o brasileiro procurou ser ainda mais agressivo, aplicou um knockdown no adversário, acertou outros bons golpes, porém “Stun Gun” acertou em cheio um cruzado de contra-ataque no rosto de Erick, levando o brasileiro a lona em um típico nocaute clássico. O revés foi o terceiro do lutador da Team Nogueira desde que ele estrou no Ultimate, acumulando outras três vitórias.

Lutando mais uma vez no Brasil, o meio-pesado Thiago Silva venceu a segunda seguida, mas não tem muitos motivos para comemorar. Na pesagem, o brasileiro não bateu o limite de peso da categoria (93 kg) e teve que dar uma porcentagem de sua bolsa a seu oponente, o norte-americano Matt Hamill. No octógono, ainda mais acima do peso, Thiago não conseguiu apresentar um desempenho bom, já que demonstrou cansaço e inabilidade de liquidar a fatura quando teve a chance. Nos primeiros cinco minutos, o brasileiro foi melhor.

Na sequência, “The Hammer” voltou bem e estava sendo superior, mas Thiago acertou bons golpes, chegando a aplicar um knockdown, e virou o round. No último, o brasileiro se aproveitou do esgotamento físico do rival para “cozinhar” a luta e levar na decisão unânime.

A terceira luta do card principal, entre Fábio Maldonado e Joey Beltran foi marcada pela valentia dos lutadores em lugar a falta de técnica. Os fãs esperavam um show de trocação, mas nenhum dos envolvidos convenceu. O brasileiro preferiu provocar o adversário a lutar com o mesmo, quanto o norte-americano de ascendência mexicana optou por um jogo de “dirty boxing” pouco eficiente. No final, os juízes deram a vitória por decisão dividida para Maldonado.

A estreia de “Toquinho” nos meio-médios foi avassaladora. O brasileiro precisou de apenas 31 segundos para fazer o que sabe de melhor, que é finalizar os adversários. O golpe? Chave de tornozelo. O curioso é que todos sabem que esse é o ponto forte do brasileiro, mas Pierce ou não sabia ou se fez de desentendido e pagou o preço por isso. “Toquinho”, que vivia um período nebuloso no UFC, deu a volta por cima e essa bela e importante vitória faz com que ele não só entre com o pé direito na categoria, como também o faz subir alguns degraus no ranking dela.

A nota lamentável vai pelo fato do brasileiro não ter largado a perna do adversário, quando este fez o sinal de desistência. Como punição, o lutador não receberá os 50 mil dólares de prêmio de finalização da noite.

Na abertura do card principal, os galos Raphael Assunção e TJ Dillashaw travaram um combate muito movimentado e igual. No primeiro round, o americano foi superior e, inclusive, chegou bem perto de finalizar o brasileiro. No segundo, Raphael foi melhor, comandando as ações. Ao contrário do que se imaginava, o terceiro e decisivo assalto, que tinha tudo para ser empolgante, deixou a desejar.

No final das contas, o brasileiro venceu o duelo por decisão dividida e se consolidou de vez no top-10 dos galos do UFC. Mesmo que tenha sido um resultado discutível, Assunção chegou a quinta vitória seguida e aumentou seu moral na organização.

Card preliminar

Igor Araújo estreou com pé direito na organização ao derrotar o compatriota Ildemar Marajó por decisão unànime dos juízes. Yan Cabral, ex-TUF Brasil 2, confirmou o favoritismo e venceu na sua estreia o americano David Mitchell, por decisão unânime dos juízes, pelos meio-médios.

Chris Cariaso derrotou Iliarde Santos por nocaute técnico no segundo round. Agora, o brasileiro corre risco de ser cortado do UFC após perder pela terceira vez seguida.

Na primeira luta da noite, Alan Nuguette estreou com vitória no UFC ao nocautear o inglês Garett Whiteley no primeiro round, pelos leves.

Resultados:

Jake Shields venceu Demian Maia por decisão dividida
Dong Hyun Kim venceu Erick Silva por nocaute
Thiago Silva venceu Matt Hamill por decisão unânime
Fábio Maldonado venceu Joey Beltran por decisão dividida
Rousimar Toquinho venceu Mike Pierce por finalização
Raphael Assunção venceu TJ Dillashaw por decisão dividida

Card preliminar
Igor Araújo venceu Ildemar Marajó por decisão unânime
Yan Cabral venceu David Mitchell por decisão unânime
Chris Cariaso venceu Iliarde Santos por nocaute técnico
Alan Nuguette venceu Garett Whiteley por nocaute técnico

(Via MMA, jornal O Dia)