O procurador da República Oscar Costa Filho afirmou nesta sexta-feira, 13, que o “estilo” de Ciro Gomes (PSB) pode se tornar “o maior problema de saúde pública” do Ceará. O desabafo ocorreu após Ciro, empossado nesta quinta como titular da Saúde, recusar comparecer em audiência pública do Ministério Público Federal (MPF) sobre ausência de equipamentos de eletrochoque em instituições de saúde mental do Estado. 

”Ficar sem abertura de diálogo, que tínhamos antes, nós não precisávamos de mais esse problema, porque as dificuldades já são grandes (…) esse estilo, já que ele demonstrou que veio e não pede licença, que não tem interesse em dialogar, é lógico que precisamos tomar providências, porque isso passa a ser o maior problema de saúde pública do Ceará”, disse Oscar.

O MPF do Ceará organizou reunião para debater ausência de equipamentos de tratamento de eletrochoque nas instituições de saúde mental do Estado. Atualmente, não existe um equipamento sequer do tipo em instituições públicas cearenses. “Quem quiser fazer esse tipo de tratamento precisa entrar na Justiça e ganhar cobertura para fazer em hospital privado”.

Em resposta à convocação do MPF, Ciro Gomes expediu ofício afirmando que não possuía “interesse” em participar da reunião. “Entendendo a não competência institucional dessa entidade para tal notificação, comunico que não tenho interesse em participar da referida reunião”, diz a nota, assinada pelo secretário.

Redação O POVO Online