Já se passou um ano desde que a Prefeitura de Fortaleza sancionou o Estatuto da Segurança Bancária. Após todo esse tempo, nenhum banco da Capital cumpriu totalmente as determinações do documento. Mesmo assim, de acordo com o Sindicato dos Bancários do Ceará (SEEB/CE), o número de ataques a esses estabelecimentos em 2013 caiu 9,75%, em relação ao mesmo período do ano passado.

Entre as determinações não cumpridas pelos estabelecimentos, estão a instalação de portas giratórias, blindagem e vigilância 24 horas FOTO: ALEX COSTA

Entre janeiro e agosto de 2012, foram registradas 41 ocorrências envolvendo agências bancárias em Fortaleza, em todo o Interior do Estado esse número subiu para 46. Enquanto isso, nos primeiros oito meses deste ano, esse número caiu para 37 na Capital, mas no Interior, as ações em bancos foram 62.

“A redução ainda não é grande, mas é importante porque mostra que a implantação do estatuto foi importante para diminuir os números de ataques a bancos na Capital”, afirmou o secretário de assuntos jurídicos coletivos do SEEB/CE, Gustavo Machado Tabatinga, em audiência pública, na tarde de ontem, na Câmara Municipal, com o objetivo de discutir o Estatuto da Segurança Bancária.

Um dos motivos para que os dados do sindicato não sejam ainda menores, ressaltou Tabatinga, é que nenhum das agências se adequou 100% ao documento. “Garantir a vida de quem está dentro das agências não tem sido uma preocupação dos bancos”, frisou.

As agências dos bancos federais são os que mais se adequaram até agora, segundo o secretário. “Todos eles foram os que mais mostraram evolução. Mas, alguns dos grandes bancos não tem nenhum item do estatuto”, destacou.

Fiscalização

Desde que a lei foi sancionada, o Procon Fortaleza realizou uma fiscalização nas agências bancarias de toda a Cidade e teve que fazer advertências em 100 delas, pois estavam descumprindo o documento. A chefe de fiscalização do órgão, Auxiliadora Garcia, explicou que pela lei é necessário que primeiro seja dada uma advertência, se o problema continuar, uma multa poderá ser aplicada e, em reincidências, uma interdição. Agora, o Procon pretende realizar uma nova fiscalização durante o próximo mês.

A representante da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Denise Mesquita, comentou que a segurança das agências é motivo de preocupação de todos os bancos. “São investidos milhões todos os anos para garantir a segurança de todos que trabalham ou utilizam os bancos”, acrescentou.

Além disso, ela garantiu que todas as leis federais e também as normas da Polícia Federal, em relação à segurança dos bancos, são integralmente cumpridas por todas as agências da Capital.

Os estabelecimentos não estão cumprindo totalmente o Estatuto da Segurança Bancária, de acordo com Denise, porque algumas das normas são desprovidas de estudos técnicos que possam garantir a sua eficácia durante o dia a dia.

“Na medida do possível cumpriremos com o que está previsto. Porém, alguns pontos como blindagem e vigilância 24 horas ainda precisam ser mais discutidos”, disse Denise.

(THIAGO ROCHA – Diário do Nordeste)

Anúncios