Fortaleza será sede de 12 a 16 de agosto próximo, da 9ª  Conferência Geral Mundial da Rede Internacional de Organismos de Bacias Hidrográficas. O evento, que será realizado no Marina Park Hotel, na Praia de Iracema,  vai reunir cerca de 35 países que virão para debater e trocar experiências de boas práticas em recursos hídricos desenvolvidas pelos organismos de bacias hidrográficas implantadas em todo planeta.

Os objetivos maiores da Conferência é possibilitar que os Organismos de Bacia de todo o mundo identifiquem as oportunidades e desafios para a promoção da gestão integrada e participativa das águas de forma descentralizada, de modo a apontar para a toda a sociedade a efetiva sustentabilidade dos recursos hídricos, sempre em busca da construção de pactos que vislumbrem no médio e longo prazo a qualidade e quantidade das águas superficiais e subterrâneas no planeta.

Na ocasião o presidente da agência nacional de águas, Vicente Andreu, será empossado como presidente da Rede Internacional de Organismos de Bacias Hidrográfica (Riob-s). Lupercio Ziroldo Antônio,  estará  na capital cearense até o dia  24  para fazer as articulações sobre o evento. “Mais do que um evento internacional, este acontecimento possibilitará aos participantes que virão de todo brasil e de cerca de 35 países do mundo a oportunidade de conhecer, debater e trocar experiências”, disse o coordenador do evento, engenheiro Lupercio Ziroldo Zntônio.

“Os organismos de bacias hidrográficas, hoje em número próximo a 200 no Brasil, entre comitês, consórcios e associações, já mobilizam mais de 70 mil pessoas direta e indiretamente no processo de gestão qualificada dos recursos hídricos, fundamentalmente visando estabelecer em cada bacia condições ideais de habitabilidade e desenvolvimento”, completa Lupercio.

A Conferência também proporcionará a ampliação dos debates sobre a participação da sociedade nos processos de gestão participativa dos recursos hídricos através do setor público, usuários e sociedade civil organizada, fundamentalmente dentro dos Organismos de Bacias Hidrográficas que vem realizando principalmente no Brasil, através dos Comitês de Bacia e Consórcios Intermunicipais, ações compartilhadas e integradas de gestão das águas.

A conferência tem cinco temas centrais: “Impactos das mudanças climáticas nos diferentes setores e implicações para adaptação”; “Relação entre adaptação e desenvolvimento para o bem-estar humano”; “Abordagens integradas diante de um mundo 4°C mais quente”;
“Adaptação ao limite”; e “Compreendendo e comunicando adaptação”.

A Rede Internacional de Organismos de Bacias Hidrográficas foi criada em abril de 1.994 para estruturar a troca de experiências sobre a gestão de recursos hídricos em todo mundo, tendo ainda como missão a organização de outras Redes Mundiais visando o mesmo propósito de forma integrada e compartilhada.

(G1 Ceará)