Comissão de Aprovados do BB *

Banco do Brasil está matando o sonho dos aprovados no seu último concurso. Nesta quinta e sexta-feira (dias 1º e 2 de agosto), os aprovados no certame 001/2012 do BB farão uma manifestação no Setor Bancário Sul, Quadra 1, Bloco A, em frente ao edifício-sede, pela manhã.

Faltam menos de dez meses para o vencimento do concurso que aprovou 2.558 pessoas no Distrito Federal (DF) e não convocou até agora nem 400 candidatos.

Os participantes fixaram cruzes na porta da sede do BB em luto, pelos sonhos das pessoas que o banco vem matando.

Os fatos…

No dia 25/03/2012, a Fundação Cesgranrio aplicou as provas para o concurso. Foram 73.098 candidatos inscritos. No dia 09/05/2012, a Fundação Cesgranrio publicou o resultado final e homologou o concurso. Foram aprovados nessa ocasião no DF 2.558 candidatos.

As primeiras posses no DF ocorreram em 02/07/2012.

Desde a homologação do concurso até hoje (aproximadamente um ano e dois  meses), o BB deu posse a apenas 216 aprovados em ampla concorrência. Isso significa um percentual de 8,44% dos aprovados no certame. Levando-se em conta que já temos 58,33% do tempo de validade do concurso transcorrido, o número de empossados é baixíssimo.

Comparando-se com o certame anterior, essa constatação fica ainda mais clara. No concurso anterior, no período de dois anos, foram convocados 2.267 candidatos de ampla concorrência e 30 portadores de deficiência.

Ainda durante a vigência do atual concurso, vários problemas aconteceram nas convocações. Em setembro de 2012, o BB suspendeu as convocações justificando contenção de despesas até o final do ano de 2012. Em janeiro,  convocou alguns. Porém, logo depois iniciou uma transição de sistema de recursos humanos que inviabilizou as convocações por mais dois meses.

A argumentação do BB de que chama os candidatos de acordo com o surgimento de vagas não é válida pois, no início de 2012 havia mais de 500 vagas em aberto somente no DF, e o BB insiste em não convocar. A falta de funcionários é notória em todas as agências do BB. As pessoas passam horas nas filas para serem atendidas. Fica clara a postura do BB de não substituir funcionários que deixam a empresa. Com isso, cria-se um péssimo clima organizacional dentro da empresa e a sensação de injustiça aos candidatos que investiram tempo e dinheiro na preparação para o concurso.

A média de posses no concurso 01/2012 está em 15,42 candidatos por mês. Esse número preocupa os concursados, pois se o BB fez um concurso para ter cadastro de 2.558 aprovados, ainda faltam muitos a serem chamados. Mesmo que algum erro de cálculo no número de vagas oferecidas tenha ocorrido, não parece razoável uma diferença tão gritante. A sensação é de que o BB anunciou um número enorme de vagas para atrair muitos candidatos, e com isso conseguir arrecadar mais de R$ 3 milhões somente em taxas de inscrição. Se essa média de convocações e posses se mantiver, teremos ao final da validade do concurso um número insignificante de somente 370 posses durante dois anos, ou seja, apenas 14,46% dos aprovados.

Alguma coisa deve estar errada nessa conta. Ou o BB age de má-fé ao lançar o edital, ou ignora as necessidades de funcionários por simplesmente visar cada vez mais lucros.

* Por solicitação da comissão dos aprovados, que o Congresso em Foco considerou justa e aceitou, omitimos os nomes dos autores do texto para evitar qualquer tipo de retaliação, a qualquer tempo, por parte do Banco do Brasil.

Via http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/outros-destaques/banco-do-brasil-mata-o-sonho-de-brasileiros/

Anúncios