São Paulo – As propostas dos trabalhadores para iniciar as negociações para a renovação dos acordos coletivos aditivos à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) já estão com as direções do Banco do Brasil e da Caixa. A entrega das reivindicações dos empregados desses bancos públicos ocorreu logo após à da pauta geral da categoria pelo Comando Nacional dos Bancários à federação dos bancos (Fenaban), nesta terça 30.

“Tanto os trabalhadores do Banco do Brasil quanto da Caixa Federal estão sobrecarregados. Não suportam mais o assédio moral e a pressão para a venda de produtos. Estamos reivindicando mudanças na política desses bancos, para que passem a valorizar mais os bancários e a propiciar melhores condições de trabalho, além de colocarem ponto final à cobrança de metas diárias e inatingíveis”, afirma a presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira.

Banco do Brasil – As reivindicações do funcionalismo foram aprovadas por 318 delegados, representando bancários de agências e concentrações em todo o país, durante o 24º Congresso Nacional dos Funcionários do BB realizado de 17 a 19 de maio, em São Paulo.

Para Cláudio Luis de Souza, integrante da Comissão de Organização dos Funcionários do BB, a expectativa é que a empresa tenha mais agilidade para debater as reivindicações. “Queremos que o banco mude a lógica de só debater as propostas dos trabalhadores a partir do momento em que se apresenta índice de reajuste na mesa geral com a federação dos bancos. Há temas de saúde, segurança e condições de trabalho, por exemplo, que podem ser resolvidos ao longo do processo negocial”, afirma.

Caixa Federal – Para o dirigente sindical Dionísio Reis, que integra a Comissão Executiva dos Empregados da Caixa, uma das principais reivindicações é que a abertura de novas agências ocorra com o número adequado de trabalhadores. “Temos insistido na tecla de que tem de haver a agilidade nas contratações. A Caixa já foi, inclusive, autorizada pelo governo para fazer isso. Reivindicamos também que a empresa respeite o que é acordado na mesa de negociação.”  

As propostas dos empregados foram aprovadas por 337 delegados de todo o país durante o 29º Conecef (Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Federal) que também foi realizado em São Paulo de 17 a 19 de maio. O evento teve como lema Sou da Caixa, faço um Brasil melhor – Sobra trabalho, faltam estrutura e reconhecimento.

(Jair Rosa – SEEB-SP)

Anúncios