A movimentação de turistas no Rio de Janeiro, com a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), está sendo a maior já registrada numa única cidade brasileira. A informação foi divulgada pelo Ministério do Turismo com base em pesquisa encomendada à Coppe/UFRJ. Apesar de todos os problemas que os peregrinos enfrentaram, cerca de 93% dos estrangeiros entrevistados disseram que pretendem voltar ao Rio e desse total, 72,7% estão no Brasil pela primeira vez.

Mais da metade (58,5%) declarou que o fato de a jornada acontecer na cidade do Rio influenciou na decisão de comparecer ao evento. E a maioria dos turistas dessa amostra preliminar (95,7%) respondeu que pretende voltar ao Rio. A pesquisa mostrou ainda que o tempo médio de permanência dos estrangeiros no país é de 12 dias e 53,6% deles afirmaram que querem voltar ao Brasil em até um ano e 12,7% pretende fazer isso no prazo de um a seis meses.

“Estamos estruturando uma política para o turismo religioso dando ênfase a nossa política de priorizar o turismo interno. O mercado interno é o nosso olhar, mas é claro que queremos atrair cada vez mais estrangeiros para o Brasil. O ministério precisa ajudar na divulgação do turismo religioso e transformar isso em um negócio com retorno econômico”, disse o ministro do Turismo, Gastão Vieira.

O alto custo das diárias, que aumentaram em até 30%, teve reflexo negativo para os hotéis que receberam menos de 7% dos jovens peregrinos. A maior parte dos viajantes, cerca de 55%, se hospedou em paróquias, colégios e residências de fiéis que colaboram com a organização do evento. Outros 20% ficaram em casas de amigos e parentes.

(Jornal do Brasil)

Anúncios