O Distrito Federal e São Paulo têm os melhores Índices de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) entre as unidades da federação – 0,824 e 0,783, respectivamente, segundo o Atlas de 2013 do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) divulgado nesta segunda-feira (29).

Os índices são superiores ao do IDHM Brasil (0,727). O IDHM visa medir a qualidade de vida nos municípios. Os índices medidos nos estados e no Brasil não são calculados como a média dos índices municipais – levam em consideração o conjunto da população de cada território.

O IDHM é um índice composto por três das mais importantes áreas do desenvolvimento humano: vida longa e saudável (longevidade), acesso ao conhecimento (educação) e padrão de vida (renda). Mas, neste ano, a metodologia mudou (saiba mais sobre a nova metodologia).

Os dados utilizados para 2013 são do Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010.  O IDHM vai de 0 a 1: quanto mais próximo de zero, pior o desenvolvimento humano, quanto mais próximo de um, melhor.

O Distrito Federal, que tem um único município (Brasília), foi a única unidade da federação que teve IDHM considerado muito alto (acima de 0,800). Também registra o maior IDHM Renda, 0,863, e o maior IDHM Educação, 0,742. Todas as localidades da região administrativa do Distrito Federal são consideradas partes do município de Brasília, segundo os critérios do IBGE.

De acordo com dados do Atlas de 2003 e 1998, Distrito Federal e São Paulo já ocupavam o primeiro e o segundo lugares, mas com índices um pouco menores.

Santa Catarina, que teve o terceiro melhor IDHM 2013 do país (0,774) é o estado com maior expectativa de vida ao atingir 0,860 no IDHM longevidade.

O Rio de Janeiro, com 0,761, ficou na quarta posição neste ano entre as unidades da federação com melhor desenvolvimento humano.

Alagoas teve o pior IDHM do país (0,631) considerado de médio desenvolvimento humano. O Maranhão teve o segundo pior IDHM (0,639).

Pelos dados de toda a população do estado, nenhuma undidade da federação tem desenvolvimento humano baixo ou muito baixo.

Regiões do país
Conforme as informações divulgadas nesta segunda-feira, 65% dos municípios da região Sul e 52% dos municípios da região Sudeste têm IDHM considerado de alto desenvolvimento.

Nas regiões Centro-Oeste e Norte, 57% e 50% dos municípios, respectivamente, estão na faixa de médio desenvolvimento. No Nordeste e no Norte, 61% e 40% dos municípios, respectivamente, têm índice considerado baixo.

O IDHM 2013 NAS UNIDADES DA FEDERAÇÃO

Posição

Unidade da Federação

IDHM

Distrito Federal[1]

0,824

São Paulo

0,783

Santa Catarina

0,774

Rio de Janeiro

0,761

Paraná

0,749

Rio Grande do Sul

0,746

Espírito Santo

0,740

Goiás

0,735

Minas Gerais

0,731

10º

Mato Grosso do Sul

0,729

11º

Mato Grosso

0,725

12º

Amapá

0,708

13º

Roraima

0,707

14º

Tocantins

0,699

15º

Rondônia

0,690

16º

Rio Grande do Norte

0,684

17º

Ceará

0,682

18º

Amazonas

0,674

19º

Pernambuco

0,673

20º

Sergipe

0,665

21º

Acre

0,663

22º

Bahia

0,660

23º

Paraíba

0,658

24º

Piauí

0,646

24º

Pará

0,646

26º

Maranhão

0,639

27º

Alagoas

0,631

Fonte: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud)

No Brasil, a maioria dos municípios tem índice médio (40,1%) e alto (33,9%).

Clique abaixo para conferir o IDHM do seu município:

References

  1. ^Distrito Federal (g1.globo.com)

Leia Mais http://g1.globo.com/brasil/noticia/2013/07/df-e-sp-sao-unidades-da-federacao-de-melhor-desenvolvimento-humano.html

 

 
Anúncios