Fortaleza-CE

Ceará, Rio Grande do Norte e Sergipe são destaques em venda de imóveis no país. Os dados foram apresentados na Convenção Nacional da Re/Max Brasil, que aconteceu, recentemente, na Bahia. Das mais de 200 empresas franqueadas, as imobiliárias nordestinas da rede americana ficaram entre as três primeiras colocadas. O Ceará ficou em primeiro lugar no Brasil.

Segundo Pedro Viriato, sócio da Master Franquia Ceará, as belas paisagens, clima agradável o ano todo, – aliados a projetos do governo e à realização da Copa do Mundo em 2014, o aumento do crédito concedido pelos bancos e o otimismo dos brasileiros em meio ao cenário favorável, além do investimento em infraestrutura local, incentivam a comercialização de imóveis na região.

“Nos últimos anos, o Ceará tem crescido mais do que a média brasileira a nível do PIB, e o mercado imobiliário vem acompanhando esse crescimento. Fortaleza, é uma das cidades mais bem estruturadas a nível urbanístico do Nordeste, permitindo um desenvolvimento imobiliário muito dinâmico”, acrescenta Viriato.

De acordo com o Instituto de Pesquisa e Estatística do Ceará (Inpes), do Sindicato da Habitação (Secovi), este ano o número de lançamentos em Fortaleza deve aumentar 106%, em relação ao ano passado. Os lançamentos são idealizados com foco nas diversas faixas de renda.

Em destaque

Um advogado, uma administradora de empresas e um publicitário. A união destes três profissionais e o foco no trabalho transformaram a Re/Max Atitude em uma das imobiliárias que mais vendem no Brasil.

A Empresa, que está há pouco mais de dois anos no mercado, ficou com a primeira colocação de comissão e faturamento entre as mais de 200 franqueadas da marca no Brasil. Nos últimos meses a Re/Max Atitude fez mais de 34 milhões em VGV (Valor Geral de Vendas).

O prêmio , segundo o sócio Renato Borges, é fruto de um trabalho de muita qualidade, com respeito ao cliente e também ao corretor de imóveis. “Porque hoje o corretor é muito despreparado e deixa a desejar, e a empresa tem um papel muito importante de qualificar o corretor, não só na área de vendas, mas também nas áreas de arquitetura, engenharia e direito, e isto contribui para um trabalho de maior qualificação e repercute na satisfação do cliente”, analisa Borges.

De olho na Copa

Aproveitando a credibilidade da marca criada há quarenta anos nos Estados Unidos, e presente em 95 países com 6.300 franqueadas, a Máster Franquia, no Ceará, está de olho na copa do mundo para atrair cada vez mais clientela.

“Um cliente na Itália  que quer alugar ou comprar uma casa para a copa aqui no Brasil ou no Ceará, vai procurar imediatamente a Re/Max, porque ele já conhece a marca no seu país e sabe da credibilidade que ela tem”, exemplifica o português, Pedro Viriato.

E a sinalização de que o evento trará bons ventos para o nosso estado tem sido à procura de estrangeiros em imóveis no nosso estado. A clientela tem sido tanto de pessoas que querem assistir os jogos aqui no Ceará como de pessoas que estão se instalando no estado já de olho nos investimentos que a Copa do Mundo trará para os seus negócios.

Instalada em fevereiro de 2011, a Re/Max Ceará tem hoje seis empresas franqueadas e estima chegar em 2016 com 30 imobiliárias usando a bandeira da rede.  A expectativa da empresa em nível de Brasil é passar de 200 para 1.000 empresas franqueadas e saltar de um VGV de R$ 1,8 bilhões para R$ 25 bilhões até 2016.

Mulheres no mercado

Correspondendo a quase 30% do mercado imobiliário brasileiro, as mulheres, estão cada vez mais atuantes. A administradora de empresas, do Ceará, Rejane Bandeira está entre os três melhores corretores da marca no Brasil. Contabilizando este ano mais de cem unidades vendidas, com preços variando de trezentos a seiscentos mil reais, ela desbancou mais de mil corretores de todas as regiões do país.

“Como é que o mercado está em baixa se aqui no Ceará obtivemos o primeiro lugar em vendas?” Indaga a corretora, que enfatiza a estabilidade do mercado.

Edal Costa, diretora do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-Ce), também concorda que o mercado, nos últimos dois anos, esteve em efervescência, agora passa por uma acomodação. “E vamos ganhar com esta acomodação”, afirma Edal, com a autoridade e o entusiasmo de quem já está há 30 anos no mercado imobiliário cearense.

Via http://www.oestadoce.com.br

Anúncios