Aécio Neves, ontem, ao participar da convenção tucana , estava inspirado na hipocrisia.

Além de desejar que José Serra “seja feliz” na eleição de 2014 (o amor é lindo, não é?). o tucano mineiro partir pra cima do governo federal pelo que disse ser  ”quase um tapa na cara” do país: os 22 mil cargos comissionados da União.

Será que Aecinho não lê o Estadão? A gente lê para ele:

“O governo de Minas Gerais irá criar mais 1.314 cargos comissionados até 2014. A decisão consta do decreto de lei delegada 182 assinada pelo governador Antonio Anastasia (PSDB) e publicado no último sábado no Minas Gerais, diário oficial do Estado. Os novos cargos representam um aumento de 28,85% no número de postos comissionados de chefia, direção e assessoramento já existentes. Do total de cargos comissionados (17,5 mil), o porcentual representa um acréscimo de 7,4%.”

Quer dizer então que Minas, com 10% da população nacional, tem um número de cargos comissionados equivalente a 80% dos federais?

Será que Aécio considerou a decisão do governador que  ele patrocinou e elegeu, ”quase um tapa na cara” do povo mineiro, ao criar mais uma batelada deles?

Será que Aecinho, com essa mania de bajular Fernando Henrique, pegou do chefe o defeito de “esquecer”. Porque Anastasia criou estes cargos através da Lei Delegada n° 182, uma das dezenas e dezenas de projetos que Aécio e seu sucessor fizeram aprovar, para governar sem controle legislativo?

Ou o Estadão está errado e fez isso porque  é um jornal de esquerda, pró-Dilma,  só para implicar com Aecinho? 

Por: Fernando Brito, via Tijolaço
Anúncios