Philippe Mirapalheta tinha 26 anos – Foto: Divulgação/Site Oficial

O lutador Philippe Mirapalheta, de 26 anos, morreu nesta sexta-feira durante um treinamento em uma academia em Florianópolis, Santa Catarina. O falecimento do garoto foi confirmado pela academia Top One, local onde o atleta treinava.

De acordo com a nota da academia, Mirapalheta estava fazendo esteira há dez minutos quando começou a passar mal. Imediatamente, os funcionários do local chamaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que tentou reanimar o jovem, mas não conseguiu.

Em seu currículo, Mirapalheta, considerado atleta de alto rendimento pela academia, onde treinava há três anos, tem o título de campeão brasileiro, tricampeão sul-americano e pentacampeão sul-brasileiro, além de um terceiro lugar no mundial, todas competições de jiu-jitsu.

Philippe Mirapalheta também é detentor do cinturão do GP Insano e GP MKT na categoria acima de 93 quilos. Seu cartel contava com quatro vitórias e nenhuma derrota.

No comunicado oficial, a academia mostrou o exame médico de Mirapalheta, que teria validade até outubro deste ano e o liberava para a prática de atividade física.

A causa que levou a morte do atleta ainda é desconhecida. A academia decretou luto e não funcionará nos dias 13 e 14 de julho. Veja abaixo a nota na íntegra sobre a morte do atleta:
 

Nota oficial: Academia Top One Club lamenta falecimento de aluno

É com consternação e imenso pesar que os sócio-proprietários da Academia Top One Club, Pyter Bruno e Ivana Henn, comunicam o falecimento de um de seus alunos, ocorrido por volta das 17h30 desta sexta-feira (12/7), nas dependências do estabelecimento, no bairro Coqueiros, em Florianópolis.

Aluno da academia há pelo menos três anos, o atleta de alto rendimento e competidor de jiu-jitsu, Philippe Mirapalheta, 26 anos, estava treinando há 10 minutos na esteira, em velocidade com a qual estava habituado no seu treino diário, quando sentiu-se mal. Imediatamente a academia chamou por socorro e, em menos de 10 minutos, uma equipe do Samu prestou atendimento ao atleta, mas já não conseguiu reanimá-lo.

Mirapalheta estava com o atestado médico obrigatório para a prática de exercícios na academia em dia. O documento foi expedido em outubro de 2012, com validade de um ano, e seria renovado a partir de outubro próximo. Segundo os funcionários da academia e amigos que o acompanhavam no treino, tinha hábitos saudáveis e nenhum problema de saúde.

O atleta era faixa preta em jiu-jitsu, foi campeão brasileiro, três vezes campeão sul-americano e cinco vezes campeão sul-brasileiro, e ficou em terceiro lugar no mundial de jiu-jitsu.

Além de prestar o socorro necessário, a Academia Top One Club está prestando toda a assistência à família do atleta, tendo sido, inclusive, os seus proprietários os responsáveis por comunicar pessoalmente o ocorrido aos pais do atleta.

As causas da morte, ainda desconhecidas, serão apuradas da forma legal, a partir dos encaminhamentos que a Polícia Civil julgar necessários, como a realização de autópsia.

A Academia decretou luto e não abrirá neste sábado e neste domingo, 13 e 14 de julho.

Florianópolis, 12 de julho de 2013.

Pyter Bruno e Ivana Henn
Sócio-proprietários da Academia Top One Club

(Uol SP)

Anúncios