Está começando a ganhar corpo nas redes sociais um movimento pela aprovação da PEC 280, que reduz a 250 o número de deputados federais no Brasil.

 

A proposta, do falecido Clodovil Hernandez, foi apresentada em 2008 e, é claro, ainda está longe de ser votada.

 

Chegou a ser arquivada, em 2011, mas foi desarquivada no final do mesmo ano. Está, portanto, em condições de fazer parte das deliberações do Congresso.

 

Veja que maravilha a explicação de Clodovil para a proposta:

 

O parlamentar destaca que a atual composição da Câmara dos Deputados, com representantes de todos os estados e do Distrito Federal, “resulta em um Parlamento com diversidade de idéias, bastante plural, o que é imensamente positivo”. Entretanto, ele considera que o atual número de deputados é excessivo, especialmente “em um momento em que a sociedade se volta contra a classe política e exige a depuração de seus quadros”.

 

Para o deputado, “uma Câmara com 250 membros já possuirá amplas condições de representar a diversidade da sociedade brasileira, e possibilitará um enxugamento de estruturas administrativas que redundará até mesmo em significativa diminuição de despesas públicas como ganho secundário”.

 

Além disso, o parlamentar ressalta que o funcionamento da Casa, com a simplificação, deve melhorar. “Preservado o federalismo com a manutenção da representação igualitária do Senado, estamos certos de aprimorar nossa democracia”, acrescenta.

 

Suprema ironia com os lobistas do preconceito, que fazem da representação política uma forma oportunista de recusar que a sociedade avança.

 

É bom que os deputados pensem bem na frase de Clodovil e vejam o que o povão vai dizer disso:

 

“Será que precisamos de gravata ou de seriedade?”

 

Os deputados “cura-gay” são um lixo, mas o Clodovil é um luxo!

 

 

Por: Fernando Brito
Anúncios