Desde 2008, quando a então prefeita de Fortaleza Luizianne Lins anunciou oficialmente projeto estruturante para a região da Praia de Iracema, a população da Capital espera pela requalificação. Hoje, cinco anos depois, o que era para ser um dos principais pontos turísticos da Cidade, tem mais locais em obras ou em desuso do que equipamentos funcionando.

Moradores, turistas e coopistas convivem, ao longo do calçadão, com terrenos baldios, casas abandonadas e muitas pichações. Onde antes existia o Cais Bar, por exemplo, hoje, restam tapumes e paredes revestidas apenas de cimento, evidenciando, assim, mais uma obra que, até este momento, não foi totalmente finalizada.

Próximo do espaço onde antes ficava o restaurante “Sobre o Mar”, existe uma construção que também está pela metade. Inclusive para fechar a entrada daquele ponto foi utilizada uma placa do Ministério do Turismo que exibe detalhes de obras realizadas na Rua dos Tabajaras.

A Ponte Metálica continua apresentando problemas de estrutura e faltam lojas e restaurantes que possam atrair mais o público. As tábuas soltas também assustam qualquer pessoa que passa por ali.

Lentidão

De acordo com o bancário Carlos Albuquerque, o principal problema são as diversas obras inacabadas. “A gestão passada deu início às obras, mas foram tão lentos que não conseguiram terminar. A nova administração assumiu e ainda não deu continuidade”, reclamou.

O bancário acredita que uma revitalização faria o local receber novamente um grande número de fortalezenses e turistas. “Aqui tem tudo para ser um dos melhores locais de lazer da Cidade. Basta o poder público querer isso”, avalia.

O empresário Cristiano Sena Martins, que faz cooper todos os dias naquela área, ressalta que, mesmo com os problemas encontrados na Praia de Iracema, a população não deixa de frequentar o local, seja para lazer ou praticar algum exercício físico.

“Faz tanto tempo que nem me lembro da primeira vez que ouvi falar na revitalização da Praia de Iracema. Mesmo com toda essa demora, tenho fé que isso um dia vai acontecer e essa área vai voltar a ser uma das mais importantes de Fortaleza”, comentou Cristiano Martins. A estudante Mariana Leite de Almeida também lamenta os problemas encontrados em um dos cartões-postais da Capital. “Ficar dessa forma é que não pode”, declara.

A Assessoria de Comunicação da Secretaria de Turismo de Fortaleza (Setfor) informou que ainda está sendo realizado estudo sobre as obras que serão realizadas na Praia de Iracema, pois o objetivo é que, no futuro, toda a orla da Capital seja interligada. Portanto, não existe previsão para o início das intervenções. Conforme a Assessoria da Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor) ainda neste mês deverá ser lançado o Edital de Ocupação da Área Gastronômica do Estoril.

Além disso, está sendo promovida, até este domingo (23), a festa “Fortaleza Junina – Uma homenagem a Elzenir Colares”. A Praia de Iracema recebe shows, apresentações de grupos de tradição e festival de quadrilhas.

Desde o último dia 13 de junho, estão reabertos o Estoril e a Casinha Amarela. Os dois equipamentos recebem respectivamente as exposições “São João da Memória” e “Noites de Junho”, compostas por intervenções multimídias que têm como tema a tradição junina.

(THIAGO ROCHA, REPÓRTER – Diário do Nordeste)