A Fifa confirmou na manhã desta quinta-feira, em ‘briefing’ no auditório do Maracanã, o roubo a jogadores da Espanha durante a passagem pelo Recife, onde a equipe estreou na Copa das Confederações vencendo o Uruguai por 2 a 1, no domingo. De acordo com o site espanhol “Mundo Deportivo”, os jogadores deram falta de aproximadamente mil euros no hotel que abrigou a seleção na capital pernambucana. O chefe da delegação espanhola, Raul Jimenez, inicialmente desmentiu a informação, assim como o gerente do hotel.

Alejandro García/EFE Zagueiro Piqué foi um dos que denunciaram o furto

A Polícia Civil afirmou que não recebeu registro do roubo. Não foi feito Boletim de Ocorrência. Segundo a diretoria de comunicação do COL (Comitê Organizador Local), o furto foi percebido quando a delegação estava perto de deixar a cidade. Com isso, foi feita uma investigação paralela, que não envolveu a polícia.

O porta-voz da Fifa, Pekka Odriozola, porém, afirmou que houve um registro de ocorrência do caso e que as autoridades locais estão investigando. Após a confirmação da Fifa, o chefe da delegação espanhola afirmou que não daria mais declarações. A explicação saberia à assessoria de imprensa, que avisou que não vai tratar do assunto nesta quinta-feira, já que é dia de jogo – contra o Taiti, às 16h, no Maracanã.

Pekka disse não ter maiores detalhes da ocorrência, mas relatou que a Fifa está em contato com a delegação e com as autoridades para esclarecer o ocorrido.

– Sabemos que houve uma denúncia à polícia, isso foi cuidado pelas autoridades. Mantivemos contato com o time. A polícia está investigando. Sabemos que houve um incidente em um dos hotéis, mas não tenho maiores detalhes. Estamos em contato com as autoridades para saber direito o que aconteceu – explicou o porta-voz.

Twitter da Polícia Civil do Recife nega registro de roubo (Foto: Reprodução / Twitter)

Segundo o “Mundo Deportivo”, seis jogadores que se queixaram haviam deixado dinheiro em suas carteiras ou em envelopes. Um deles, de acordo com a publicação espanhola, foi o zagueiro Piqué. Os demais guardaram no cofre ou em suas próprias malas. Antes da confirmação da Fifa, o hotel disse desconfiar de boato plantado por um estabelecimento concorrente.

– Essa história de roubo não é verdade. O chefe de segurança da Espanha falou com a gente e pediu para que um representante deles voltasse para o Recife, para se desculpar por esse boato. Eles afirmaram que a história não partiu de ninguém da delegação e, inclusive, mandaram uma carta de agradecimento pelo período que estiveram aqui. Assim que eles tomaram conhecimento disso entraram em contato com a gente, para evitar qualquer problema. Tenho uma desconfiança de onde isso partiu. Acho que foi de um grupo hoteleiro, concorrente nosso, que não ficou satisfeito com o fato de termos hospedado a seleção a pedido da Fifa – disse o gerente de relacionamento do hotel onde a Fúria ficou alojada, Eduardo Barbosa.

Link: http://globoesporte.globo.com/

Anúncios