Um grupo de manifestantes entrou em confronto com a polícia na região do Estádio do Castelão, em Fortaleza, palco da segunda partida da Seleção Brasileira pela Copa das Confederações, nesta quarta-feira.

Os manifestantes protestam contra o uso de dinheiro público na construção de estádios para a Copa do Mundo. Por volta de meio-dia, eles chegaram até a esquina entre a avenida Alberto Craveiro com a rua Pedro Dantas, onde foram impedidos de prosseguir pela polícia.

Durante 20 minutos, houve um clima de tensão nessa barreira, até que manifestantes começaram a forçar a passagem. Diante da ofensiva, homens da Polícia Militar, que formavam uma segunda barreira, contra-atacaram com bombas de gás lacrimogêneo, efeito moral e balas de borracha.

O confronto foi violento em ambos os lados, com os manifestantes usando entulho de uma obra nas proximidades para atacar os policiais – o local estava reservado com tapumes, que foram arrancados. Policiais, por sua vez, distribuíram bombas e spray de pimenta, dispersando a maior parte da manifestação. Os mais radicais, no entanto, permaneceram em confronto.

Durante o confronto, jornalistas e um grupo de manifestantes se refugiaram em um terreno ao lado do estádio. Bombas de gás lacrimogêneo foram arremessadas e até um menino, de cerca de 5 anos, inalou o gás. A criança passou mal e foi socorrida pelos próprios manifestantes, que o tiraram de lá. Após a defensiva da polícia, o grupo recuou. 

Mais cedo, o coronel Cláudio Mendonça, responsável pelo policiamento do local, disse que a orientação passada aos policiais é para apenas observar a manifestação. “Não vamos usar o uso de força. Vamos mostrar que Ceará está preparado para protestos pacíficos. Contamos coma colaboração deles e vamos fazer a nossa parte”, falou.

A preocupação do comandante tinha como pano de fundo os recentes confrontos ocorridos em outras manifestações prévias a três dos quatro jogos do torneio. Em Brasília, Rio de Janeiro e Belo Horizonte os protestos terminaram em confronto com a Polícia Militar.

Após o confronto, o clima continuou tenso na região do Castelão e parte dos manifestantes partiram para a BR-116, que fica bem próxima do local da partida entre Brasil x México.

(Jornal do Brasil)

Anúncios