Na manhã desta quarta-feira (12) os motoristas e cobradores fecharam o terminal rodoviário do Antônio Bezerra. A paralisação iniciou por volta das 9h.

 

A categoria segue em estado de greve deste o último sábado (8). Durante as manifestações, que acontecem desde segunda-feira (10), a categoria já paralisou os terminais rodoviários do Papicu, Messejana e Lagoa. 

 

As paralisações estão ocorrendo com o objetivo de pressionar o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) a voltar à mesa de negociação sobre a campanha salarial de 2013.

 

Na última sexta-feira (7) representantes do Sindicato dos Motoristas se reuniram com empresários para discutir o aumento da categoria. A reunião aconteceu na sede da Superintendência Regional do Trabalho (SRT). O Sintro pede 15% de reajuste, enquanto os empresários ofereceram 8%

 

De acordo com o Sindiônibus, no que se refere ao Acordo Coletivo 2013-2014, o sindicato compareceu a todas as reuniões de negociação agendadas na SRTE, cumprindo o calendário acordado, chegando a apresentar uma proposta, reajustando em 8% (oito por cento) o salário da categoria e o mesmo percentual para a cesta básica, vale alimentação e auxílio creche, percentual que está acima do INPC do período.

 

Após paralisar três terminais em menos de 48 horas, o Sindiônibus divulgou uma nota de repúdio. 

 

Nota de repúdio

Diante da continuidade das paralisações promovidas pelo Sintro, o Sindiônibus reafirma que não voltará para a mesa de negociações sem que haja uma nova proposta do Sintro que esteja coerente com a realidade econômica do país e que seja suportada pelas empresas. 

 

A proposta de reajuste de 8% apresentada pelo Sindiônibus com ganho real para o trabalhador, eleva o rendimento mensal do motorista para R$ 1.792,71 entre salário (R$ 1.492,47) cesta básica e vale alimentação. 

 

O Sindiônibus reafirma que repudia as ações ilegais de paralisação que vem sendo promovidas pelo Sintro nos terminais de Fortaleza e que tem prejudicado à população de Fortaleza.

 

 

(Portal CNews)